POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

MpD realiza a 3 de Abril eleições internas concelhias e nas comunidades emigradas 29 Mar�o 2022

O Movimento para a Democracia (MpD – poder) realiza no dia 03 de Abril as eleições para as assembleias políticas concelhias em dezasseis concelhos e as assembleias políticas nas comunidades emigradas, em oito países na diáspora.

MpD realiza a 3 de Abril eleições internas concelhias e nas comunidades emigradas

A informação foi avançada em conferência de imprensa hoje, na Cidade da Praia, pela secretária-geral do partido, Filomena Delgado, sublinhando que o MpD aposta na eleição de líderes locais com autonomia política e capacidade de mobilização, realização de acções políticas e mais acção junto dos militantes e da sociedade.

A conferência de imprensa serviu ainda para dar a conhecer os resultados da reunião ordinária da Direcção Nacional do partido, realizada no dia 26 deste mês, e na qual aprovou-se o relatório e contas do ano 2021, e foram feitas algumas recomendações.

“Foi recomendado à Comissão Política Nacional a reflexão sobre o Financiamento do Partido e a adopção de medidas para uma comunicação efectiva a nível interno e com a sociedade e a sensibilização dos militantes e simpatizantes para o voluntariado.

Filomena Delgado avançou ainda que, após a intervenção do presidente do MpD, a Direcção Nacional congratulou-se com as medidas anunciadas pelo Governo para mitigação da escalada de preços e apoia a criação do gabinete de crise que ajusta as medidas sempre que necessário.

“A Direcção Nacional congratulou-se com as medidas anunciadas pelo Governo para mitigação da escalada de preços, num momento em que a crise derivada dos três anos consecutivos de seca e da pandemia da covid 19 é agravada pela crise derivada da guerra Rússia/Ucrânia”, sublinhou.

Segundo a secretária-geral do partido, as sucessivas crises, com reflexos no abastecimento e no aumento do preço dos combustíveis e de produtos de primeira necessidade, reflexo ainda no nível de inflação e no crescimento, justifica a criação do gabinete de crise que ajusta as medidas sempre que necessário e faz a comunicação com a sociedade.

“Apreciamos positivamente a estabilização do preço de combustíveis, a redução do IVA sobre electricidade de 15 para 8 por cento (%), a majoração às empresas, em 30% de custos com aquisição de água e electricidade e o desconto de 50% na tarifa social de água e eletricidade para as famílias mais vulneráveis”, realçou. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project