NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

PC quer potenciar a olaria tradicional no desenvolvimento do turismo local 26 Novembro 2020

O Instituto do Património Cultural (IPC) quer potenciar a olaria tradicional em Cabo Verde voltado no desenvolvimento do turismo local, através de uma análise científica e de um inventário de base comunitária.

PC quer potenciar a olaria tradicional no desenvolvimento do turismo local

A informação foi avançada pela técnica do IPC Ana Samira Silva durante a apresentação do catálogo da Olaria Tradicional de Cabo Verde, que aconteceu na plataforma online.

Segundo apontou, o catálogo faz parte do estudo da olaria tradicional em Cabo Verde, enquadrado no plano de actividades da direcção do IPC.

Samira Silva explicou que o projecto “alicerça-se num estudo científico” sobre a olaria tradicional, que visa analisá-la enquanto património imaterial, além de procurar conhecer e transmitir toda a potencialidade socioeconómica e cultural, à luz do desenvolvimento rural e do turismo sustentável.

Por outro lado, apontou, propõe também o inventário de base comunitária, instrumento fundamental no processo de salvaguarda do património imaterial, que foi o âmbito da elaboração do catálogo.

De acordo com o IPC, neste, o artesanato tradicional tem um papel importante no desenvolvimento do turismo local e o seu contributo no empoderamento e na melhoria de condições de vida das mulheres oleiras, detentoras de um saber-fazer ancestral de confecção das loiças de barro.

A mesma fonte informou que no País encontram-se três centros de produção do artesanato tradicional, em Fonte Lima no concelho de Santa Catarina, Trás-os-Montes no Tarrafal (Santiago) e Rabil, na Ilha de Boa Vista.

“São comunidades rurais e com forte presença da emigração, onde as principais actividades económicas são agricultura e pecuária, secundarizadas pelo trabalho de barro que representa a marca dessas comunidades”, destacou.

O IPC frisa que, enquanto património imaterial, a olaria tradicional é vista, no projecto, como artesanato feminino com elevado potencial para o desenvolvimento sustentável da comunidade, sublinhando o papel do género no ciclo de produção e comercialização das loiças de barro, e realçando o papel das mulheres e o seu impacto no contexto social, cultural e económico das famílias.

O catálogo inclui, também, o processo de transformação da olaria tradicional como produto e/ou recurso turístico e factor de desenvolvimento local, nomeadamente, através da construção de “Centro Interpretativo de Olaria de Fonte Lima”. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project