ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Caso do chumbo da candidatura de Jorge Santos à presidência da AN: António Mauricio Santos analisa que meia duzia de deputados desautorizam órgãos e presidente do MpD 19 Maio 2021

Num post que publicou na sua página de Facebook, António Marucio Santos (Tony Santos), que foi um dos estrategas do MpD nas várias eleições, considerou que o MpD está de luto, face à desautorização da cúmpla do partido, particularmente do seu presidente Ulisses Correia e Silva. Em causa está a candidatura do seu irmão Jorge Santos, à presidência da Assembleia Nacional, que foi recusada por meia dúzia de deputados, incluindo o parlamentar Austelino Correia, que acaba de ser eleito, hoje, com 64 votos sim, como novo presidente da AN. «O presidente do partido apresenta um candidato a presidente da Assembleia Nacional, ele é aprovado com grande maioria na CP, na Direção National é aprovado com 76% dos votos. Entretanto, o Austelindo não aceita as decisões dos órgãos do partido e faz um acordo com o PAICV para ser o candidato do PAICV a PAN. Isto é possível porque o Austelindo tem o apoio de meia dúzia de deputados do MpD que não aceitam as decisões dos órgãos do partido e do seu presidente e estão dispostos a aliar-se ao PAICV, numa votação na Assembleia, mesmo que isto desencadeie uma crise política de consequências imprevisíveis, porque o MpD só tem uma maioria de dois deputados». Tony Santos, que foi Secretário de Estado de Transportes no governo de Carlos Veiga, alerta que o MpD tem que geir agora os estragados provocados por esse comportomento alegadamente irresponsável dos referidos deputados.«Vamos ter agora de gerir os estragos provocados pelo comportamento irresponsável desses deputados, mas temos de concluir que o MpD está de luto». Confira o conteúdo do referido post, que publicamos a seguir.

Caso do chumbo da candidatura de Jorge Santos à presidência da AN: António Mauricio  Santos analisa que meia duzia de deputados  desautorizam órgãos  e presidente do  MpD

O MPD está de luto.

Senão vejamos: O presidente do partido apresenta um candidato a presidente da Assembleia Nacional, ele é aprovado com grande maioria na CP, na Direção National é aprovado com 76% dos votos. Entretanto o Austelindo não aceita as decisões dos órgãos do partido e faz um acordo com o Paicv para ser o candidato do Paicv a PAN.
Isto é possível porque o Austelindo tem o apoio de meia dúzia de deputados do Mpd que não aceitam as decisões dos órgãos do partido e do seu presidente e estão dispostos a aliar-se ao PAICV, numa votação na Assembleia, mesmo que isto desencadeie uma crise política de consequências imprevisíveis, porque o Mpd só tem uma maioria de dois deputados.

Estamos perante uma desautorização total dos órgãos do partido e em particular do seu Presidente. Uma perversão total do funcionamento de um partido democrático, que tem que ter uma resposta adequada dos órgãos do Mpd, sob pena de entrarmos num pântano donde ninguém sabe como conseguiremos sair.

Se essa meia dúzia de deputados se sentem no direito de subverter o sistema, desrespeitando tudo e todos, então porque não outros três ou quatro de uma outra região não se podem sentir no direito de fazer o mesmo?
O maior paradoxo disto tudo é que esses indivíduos e alguns dos seus apoiantes são alguns dos mesmos que passam a vida a apelar a unidade do partido, nomeadamente no apoio a candidatos presidenciais, como se os militantes do Mpd fossem uma espécie de cambada de acéfalos, incapazes de decidirem por si próprios.

Espero que as vítimas deste primeiro capítulo deste drama aprendam de uma vez por todas a lição e saibam que em política quem não se dá ao respeito não é respeitado por ninguém.

Penso que ao ponto onde chegamos, todos estão agora legitimados a aplicação da máxima da mitologia grega : “Olho por olho dente por dente”, conhecida lei da retaliação que exigia que o ao agressor fosse aplicado um sofrimento proporcional ao que causou na vítima.

Vamos ter agora de gerir os estragos provocados pelo comportamento irresponsável desses deputados, mas temos de concluir que o MPD está de luto.

Antonio Mauricio dos Santos

(Post publicado na sua página de Facebook)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project