POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

O deputado António Monteiro pediu hoje ao Governo para olhar para São Vicente com “olhos de ver”, fazer a economia funcionar e tirar a ilha da “zona pantanosa” e com “os mesmos problemas de sempre”. 12 Novembro 2019

O deputado António Monteiro pediu hoje ao Governo para olhar para São Vicente com “olhos de ver”, fazer a economia funcionar e tirar a ilha da “zona pantanosa” e com “os mesmos problemas de sempre”.

 O deputado António Monteiro pediu hoje ao Governo para olhar para São Vicente com “olhos de ver”, fazer a economia funcionar e tirar a ilha da “zona pantanosa” e com “os mesmos problemas de sempre”.

O eleito nas listas da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID, oposição) por São Vicente, em conferência de imprensa hoje, no Mindelo, para balanço da visita de círculo, reiterou que se “fala muito, mas pouco ou nada se tem feito” para que as famílias sanvicentinas possam ter os recursos necessários para poderem assumir as suas responsabilidades familiares.

É que, continuou, não havendo recursos constata-se no terreno uma ilha com “grandes dificuldades” em matéria social, com pessoas que “não conseguem ter uma casa em condições”, com dificuldades “em mandar os filhos para a escola nas condições mínimas” e que “vivem infelizmente a mendigar para assumir as suas responsabilidade”.

Por isso, precisou, a UCID apela mais uma vez aos poderes local e central para, juntos, encontrarem os mecanismos económicos necessários para que a ilha possa gerar mais riqueza e ter condições para garantir recursos financeiros às pessoas e às famílias, já que se regista uma “taxa elevada” de desemprego.

Na questão do desemprego, sobretudo aquele que afecta a juventude, Monteiro considerou que os estágios profissionais são “uma fuga para enganar os jovens”, já que o Governo tem tido “uma dificuldade enorme” em assumir o compromisso dos 45 mil postos de trabalho.

“Se por um lado é bom ter um estágio para preparar o jovem para o mercado de trabalho, por outro é extremamente insuficiente para garantir o futuro desse jovem, que quer ter um trabalho, gerar rendimentos e tocar a vida para frente”, reforçou.

Para a UCID, conforme o deputado, para a dinamização da economia, na prática, é necessário o Governo e câmara municipal procurarem parceiros e investidores externos, criem uma “linha de crédito funcional”, para que os operadores económicos da ilha possam ter acesso ao crédito e avançar com os seus negócios.

“Com estes dois aspectos a funcionar a economia descola”, concretizou, ao mesmo tempo que pediu ao Governo para rever o seu modelo de financiamento e “assumir na íntegra” a responsabilidade, para que possam surgir “novos empreendedores e mais homens de negócio”.

“Só a Pro Garante e a Proempresa não têm sido suficientes para o financiamento das empresas em São Vicente”, pontuou.

Ainda na conferência de imprensa da manhã de hoje, António Monteiro chamou a atenção do Governo para agilizar a publicação da lista dos “cidadãos torturados em 1977 pelo então partido único”, já que a lei já foi aprovada.

“O Governo do MpD, que se arvora em defensor da democracia, em pai da democracia e defensor do direito individual de cada cidadão, faz tábua rasa da situação e não consegue publicar a lista que tem em mãos há quase um ano” denunciou o deputado, para quem é altura de se colocar um ponto final nessa situação, concretizou. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project