REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

O mundo a entrar em 2020 com muito fogo de artifício 31 Dezembro 2019

Samoa e a Ilha Christmas foram os primeiros lugares do mundo a entrar em 2020. A Nova Zelândia entrou no novo ano com muita pompa e circunstância e não faltou o fogo de artifício.

 O mundo a entrar em 2020 com muito fogo de artifício

Já Austrália, que se debate com vários fogos florestais, também não dispensou, segundo JN-PT, as inúmeras luzes e cores nos céus de Sidney e, em Hong Kong, a festa juntou-se aos protestos pró-democracia.

O mesmo irá acontecer nos outros paises do mundo, em alguns quais foram, no etanto, atingidos por calamidades naturais graves com mudanças climáticas, conflitos armados, querrass civis, étinicas e religiosas, querra comercial entre os EUA e a China, protestos de vária ordem, etc.

Aqui em Cabo Verde não vão tembém faltar, na celebração do final de ano, os tradicionais fogos de artifício, com destaque para os principais centros urbanos, como as cidades da Praia (Santiago), do Mindelo (São Vicente), da Assomada (Santiago Norte), dos Espargos (Sal), de São Filipe (Fogo), entre outras. A juntar isso, vai haver muita festa, em que os tradicionais balies do fim do ano surgem, a par de comemes e bebes, como o princpal atrativo para a passagem do novo ano.

Festa, desesperança e manifestação em Cabo Verde

Queira que 2020 seja melhor do que 2019, que ficou marcado por desesperança dos nacionais face aos discuros de promesesas e felicidades não cumpridas pelo Governo, pela insegurança que se vive no país e pela situção socio-económica preocupante, principalmente no meio rural com mais de 40 mil pessoas a cairem no desemprego. Tudo por causa das políticas públicas menos acertadas do atual Governo para reduzir o impato negativo dos três anos consecutivos de seca nestas ilhas. Isto sem contar com empresas que estão a reduzir atividades ou fechcar portas, devido ao ambiente de negócio pouco favarável no país . Recorde-se que, como José Luís Neves, atual secretário-geral da Câmara de Comércio de Sotavento e filho do ex-Primeiro-Ministro José Maria Neves, escreveu, na sua página de facebook, que o Banco Mundial acaba de publicar o Relatório do Doing Business 2020 e Cabo Verde ocupa a posição 137, num universo de 190 economias avaliadas. Isto depois de ter caído 4 posições em 2019 ( de 127 para 131), em 2020 Cabo Verde cai 06 posições (de 131 para 137). José Luís Neves conclui que, em dois anos, o País cai 10 posições no Ranking do Doing Business do Banco Mundial.

Entretanto, o Governo do MpD insisite nos discursos de crescimento económico e redução do desemprego alegadamente registados, mas sem que tais crescimentos tenham tido qualquer impato na melhoria das condições de vida dos cabo-verdianos - estes dados são percetíveis somente nas estatísticas do INE e do Ministério das Fiananças. Por isso, os mais críticos sugerem incluisve que seja realizada a uma auditoria externa séria aos estudos/dados destas institiuições. E para protestar contra a atual situação, 12 sindicatos da família da UNTC-CS já convocaram uma manifestaçao nacional, a ter lugar no dia 13 de Jnaeiro, nos principais centros urbanos de Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project