Legislativas 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo/MpD: Filipe Santos anuncia aposta no relançamento económico local com a criação da Zona Económica Especial do Vulcanismo 05 Abril 2021

A candidatura do Movimento para a Democracia (MpD) às legislativas de 18 de Abril vai focar a sua atenção no relançamento económico do Fogo, apostando no acelerar do processo de desenvolvimento local. Em entrevista ao Asemanaonline, o cabeça-de-lista Filipe Santos anuncia que o desafio maior passa pela criação de uma Zona Económica Especial do Vulcanismo (ZEEV), cobrindo toda a ilha e não apenas a zona de Chã das Caldeiras onde está o pico ativo do Fogo. Tudo com o propósito de aproveitar as potencialidades “raras da ilha” e transformá-las em vantagens competitivas no contexto nacional. A conclusão do Anel rodoviário, o turismo, a agricultura, a agro-indústria, o ensino superior e a formação profissional são outros dos setores chaves que estarão na prioridade da equipa ventoinha para a ilha do vulcão. Para mais pormenores, acompanhe a entrevista que se segue.

Fogo/MpD: Filipe Santos anuncia aposta no relançamento económico local com a criação da Zona Económica Especial do Vulcanismo

A Semana - Como qualifica a lista que lidera no tocante a género, competência técnica e representatividade para os três concelhos do Fogo?

Filipe Santos - A lista que lidero para o círculo eleitoral do Fogo às eleições legislativas de 18 de Abril de 2021 é constituída por elementos altamente qualificados, comprometidos com a causa da ilha do Pedro Cardoso. É uma lista renovada em cerca de 70%, constituída por jovens, cuja média de idade é de 36 anos. É uma lista jovem, mas com experiências políticas e técnicas, com alta capacidade de representar a ilha do Vulcão no parlamento nacional.

É uma lista cumpridora com a lei da paridade, com 50% das mulheres e 50% dos homens integrantes. Todos os concelhos do Fogo (São Filipe, Santa Catarina, Mosteiros) estão muito bem representados proporcionalmente ao peso eleitoral de cada um: 5 candidatos em São Filipe, 3 nos Mosteiros e 2 em Santa Catarina. É de referir que todos os candidatos e candidatas têm perfil e competências técnicas e políticas para estarem na Assembleia Nacional para legislar e fiscalizar a atividade do Governo de Cabo Verde.

De que forma pretende fazer a campanha eleitoral em tempos da Covid-19?

- Vamos fazer uma campanha de proximidade com os eleitores, porta a porta, levando as nossas mensagens de realizações do Governo de Ulisses Correia e Silva para com a ilha do Fogo e lançar as nossas plataformas eleitorais, olhos nos olhos. A nossa campanha vai ser muito democrática e serena, baseada no respeito aos adversários.

Vamos cumprir com as recomendações das autoridades sanitárias quanto à COVID19. Vamos fazer de tudo para evitar actividades que possam provocar aglomerações das pessoas de forma a evitar a propagação do vírus causador do Coronavírus. Caso houver comícios, serão feitos em espaços abertos, com eleitores limitados, com distanciamento social, com usos de máscaras e com acesso à água e álcool gel para desinfectarem as mãos com frequência. Somos uma candidatura responsável e colaboradora com as instituições da saúde.

Zona Económica Especial e desafios para o Fogo

Que propostas fortes o MpD vai apresentar para relançar o desenvolvimento do Fogo?

- Para relançar o desenvolvimento do Fogo, o meu partido, liderado por Ulisses Correia e Silva, vai fazer de tudo para impulsionar mudanças e acelerar o progresso da ilha do Vulcão, da seguinte forma:

  • - Vamos criar na ilha uma Zona Económica Especial do Vulcanismo que vai abranger toda a ilha, com o objetivo de aproveitamento das potencialidades raras da ilha e transformá-las em vantagens competitivas de Cabo Verde.
  • Com a ZEEV será uma oportunidade única para conectar Fogo com resto do mundo, assim o Fogo passará a desempenhar uma função única em Cabo Verde e rara no mundo.
  • ZEEV Será um espaço económico especial para o desenvolvimento da investigação e aplicada nos domínios do vulcanismo e da enologia.
  • Será um espaço económico especial para o desenvolvimento do turismo científico, de natureza, do enoturismo (segmento da atividade turística que se baseia na viagem motivada pela apreciação do sabor e aroma dos vinhos e das tradições e cultura da localidades que produzem esta bebida) e do turismo desportivo, bem como da agricultura, da pecuária e da agro-transformação.
  • Esta ZEEV gozará, de regimes fiscais, parafiscais e aduaneiros especiais e uma administração e regime laboral especiais.
  • - Com Zona Económica Especial do Vulcanismo, o aeródromo de São Filipe passará a ser um aeroporto moderno com capacidade de receber aviões de médio porte, será iluminada e requalificada.
  • - O porto de vale cavaleiros é imprevisível neste momento e não dá garantias em termos de segurança marítima. Há forte possibilidade de estudos para a execução de um novo porto alternativo em outro sítio na ilha.

Zona Económica Especial do Vulcanismo integrará:

- Programa de conectividade do Fogo com o resto do País e o mundo;

- Programa de infra-estruturação turística, portuária, aeroportuária e rodoviária;

- Programa especial de desenvolvimento empresarial e do setor privado local;

- Programa especial de promoção de investimentos dos emigrantes do Fogo;

- Programa especial de promoção de Investimento Direto Estrangeiro no Fogo.

O nosso Foco estará em busca de mercado, capital, conhecimento e tecnologia para impulsionar o desenvolvimento do Fogo.

  • -Vamos desenvolver o Turismo que é a primeira vocação do Fogo. Segundo o Master-plano do turismo, a ilha do Fogo deverá passar de 13.500 turistas em 2019, atingir 35.000 em 2026 e 54.000 em 2030, respeitando a capacidade de carga/oferta da ilha - esta é a nossa ambição;
  • -Vamos desenvolver a agricultura, que é a segunda vocação do Fogo, no sentido de aprofundar o investimento para o desenvolvimento da agricultura e em especial a fruticultura do Fogo que é altamente competitiva em Cabo Verde;
  • - Vamos desenvolver a agro-indústria que é a terceira vocação do Fogo, no sentido de melhorar ainda mais a cadeia de valor dos produtos locais e produzindo ainda mais o vinho, os licores do Fogo, o queijo e o café;
  • - Vamos criar a Sociedade de Desenvolvimento Regional do Fogo e o Fundo de Investimento para o Desenvolvimento do Fogo;
  • - Vamos trazer o ensino superior ao Fogo;
  • - Vamos criar o Centro de Formação e Investigação, numa parceria entre o Governo de Cabo Verde, a Universidade de Cabo Verde e a Universidade Técnica do Atlântico.

Formação superior nas áreas das ciências da terra, geociências, de vulcanologia, energias renováveis, engenharias ligadas a saúde animal, a enologia, a cultura e agronegócios, mas também nas áreas de outras ciências.

Vamos ainda apostar no Programa de infra-estruturação para acelerar o desenvolvimento do Fogo:

  • -Fecho do anel rodoviário do Fogo;
  • -Garantir a melhor conectividade interna e internacional;
  • -Acelerar a especialização e o desenvolvimento do Fogo e transformar-se também num destino de turismo interno;
  • -Dotar Fogo de uma ligação marítima previsível, frequente, regular, confortável, segura e convidativa;
  • -A funcionalidade do Porto de Vale dos Cavaleiros é limitada e imprevisível e será estudada a possibilidade de um novo porto.
  • - Fogo deve passar a ser uma ilha com elevada conectividade por via aérea;
  • -Vamos adaptar o Aeroporto para receber voos nocturnos e garantir melhor acessibilidade;
  • -Vamos criar uma rede de Teleférico a atravessar a ilha como meio de transporte e atrativo turístico;
  • -Vamos avançar com a requalificação urbana das Cidades e Vilas do Fogo;

Formação, saúde e investimentos privados

  • -Vamos construir o Centro de Formação Investigação;
  • -Vamos expandir o Centro de Formação Profissional para acolher incubação de empresas e serviços de promoção do empreendedorismo;
  • -Vamos acelerar os investimentos nas energias renováveis para reduzir os custos de fatores;
  • -Construção do Aterro Controlado de São Filipe;
  • -Promover o encerramento de lixeiras municipais do Fogo.
  • - Vamos criar as melhores condições de diáspora no desenvolvimento sustentável do Fogo
  • - Vamos viabilizar a participação dos emigrantes do Fogo nos projetos transformadores da ilha como a Zona Económica Especial do Vulcanismo;
  • -Vamos valorizar e promover ainda mais os investimentos dos emigrantes do Fogo, implementando o Estatuto do Investidor Emigrante, o projeto de mérito diferenciado e o Green Card.
  • - A saúde também é a nossa prioridade e estará à altura de uma ilha especial.

Anel rodoviário e meta da candidatura

De forma mais específica, a conclusão do Anel Rodoviário do Fogo vai ser a grande aposta da sua lista?

– Com certeza. O fecho do Anel Rodoviário do Fogo é o nosso compromisso e vai ser cumprida no próximo mandato que vai iniciar a partir do dia 18 de Abril.

Em termos de meta, quantos deputados pretende o seu partido eleger no Fogo no dia 18 de Abril?

- No Fogo vamos eleger três dos cinco deputados à Assembleia Nacional. A vitória está ao nosso alcance e sentida todos os dias. Fogo quer Ulisses.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project