ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

O tempo do intervalo visto como oportunidade de ensino-aprendizagem: Caso da Escola Lucília Freitas do Tarrafal São Nicolau 27 Maio 2019

Centramos agora o foco no essencial do artigo, que é abordar o excelente trabalho executado pela escola Lucília Freitas da cidade do Tarrafal de São Nicolau junto das crianças no decorrer dos intervalos.

O tempo do intervalo visto como oportunidade de ensino-aprendizagem: Caso da Escola Lucília Freitas do Tarrafal São Nicolau

Por: Albino Sequeira*

A educação é tão importante para uma cultura tanto quanto é o sol para a terra. É um setor que ajuda no combate à pobreza, minimiza a desigualdade social e permite à população assimilar um conhecimento mais amplo da cidadania, reconhecendo os seus direitos e deveres perante o Estado.

Garantir o acesso a educação à uma criança ou adolescente é um direito fundamental consagrado na constituição da República no artigo 77, primeiro no ponto 1 que relata: "Todos têm direito à educação", alínea b) do número 3 "promover, incentivar e organizar a educação pré-escolar, e alínea c), ainda do mesmo número e artigo, propõe "garantir o ensino básico obrigatório, universal e gratuito, cuja duração será fixada por lei».

Previsto de igual modo a partir do artigo 47º do Estatuto da criança e do adolescente, que apresenta a seguinte redação: "A criança e o adolescente têm direito à escolaridade obrigatória e gratuito e o seu insucesso escolar não pode ser motivo de expulsão do sistema educativo".

A escola não somente é um espaço para ensino do conhecimento, lá é um ambiente social, onde a criança ou adolescente adquire um referencial e aprende a conviver com as diferenças sociais, culturais e religiosos.

A escola é um sítio que permite a criança desenvolver e propalar as diversas formas de motricidade que torna lúdico o ambiente escolar.

Centramos agora o foco no essencial do artigo, que é abordar o excelente trabalho executado pela escola Lucília Freitas da cidade do Tarrafal de São Nicolau junto das crianças no decorrer dos intervalos.

Entre as aulas há o tão esperado intervalo ou recreio por parte dos alunos. É a hora que todos esperam sentir o tocar do sino para explosão de alegria, pois, é um momento onde os alunos têm mais liberdade, tempo para brincarem, relaxarem das aulas, é hora para lanche, socializarem e conviverem com colegas da mesma turma e de outras salas.

Com o mundo em que vivemos atualmente, fortemente invadido pelas novas tecnologias, equipamentos tecnológicos, e com a sobreposição dos bens materiais aos valores, as crianças têm a tendência de passarem maior tempo livre em seus telemóveis, tablets, imersos em jogos, vídeos e aplicativos, portanto, organizar atividades lúdicas para o intervalo entre as aulas foi de facto grande iniciativa e excelente alternativa para desconectar as crianças de um mundo perverso, ou seja, dos equipamentos tecnológicos e proporcionar experiências diferenciadas e recreativas.

É com este objetivo e propósito que, a Escola Lucília Freitas da cidade do Tarrafal São Nicolau tornou o recreio um momento de aprendizagem aos alunos por meio de atividades educativas e lúdicas devidamente desenvolvidas e orientadas pelos professores do centro de apoio às aprendizagens (CAA) coadjuvadas pelos professores do quadro complementar, no âmbito do projeto educativo "Cultura, Arte na inclusão", com destaque para o programa das atividades do intervalo.

Com o projeto, a escola Lucília Freitas pretende ocupar o tempo livre do intervalo, mais concretamente nos últimos 15 minutos do recreio com atividades ou brincadeiras que permitem desenvolver a capacidade de inovação dos alunos.

As atividades levadas a cabo pela referida instituição vão desde a poesia até a dança, passando pela leitura expressiva, dramatização e música.

É um momento que a escola defende ser ideal para equacionar a vontade do aluno e a organização do tempo e do espaço.

Para realizar ou executar o processo, a escola atempadamente propõe o tema a ser trabalhado durante a semana e, cada turma/classe orientada pelo professor/diretor prepara as atividades para apresentar.

Durante o período, aproximadamente 600 crianças se divertem no pátio, interagem e partilham o conhecimento.

O que destaca para o positivo é o envolvimento de todos, que crie um espaço participativo, interessante e agradável, no qual as crianças se sintam protagonistas.

Perante o exposto, a criação da ideia que culminou num excelente projeto de propor atividades para preencher o tempo livre entre as aulas foi uma magnífica medida e alternativa para estimular as habilidades de aprendizagem, integração, socialização, instrumentos importantes na formação dos alunos para o respeito mútuo e amizade.

É uma iniciativa da escola local, Lucília Freitas da cidade do Tarrafal de São Nicolau, um projeto congruente e bem visto pela diretoria da escola, que merece os mais sinceros e honestos reconhecimentos de todos (alunos, país e encarregados de educação, instituições públicas, privadas e da comunidade em geral) e de forma particular felicitar o seu gestor, João Sameiro pelo empenho e dedicação à frente daquele estabelecimento de ensino.

Educar por futuro melhor das crianças e da sociedade.
— -
* Economista e escritor

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project