DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

ONAD-CV aplica suspensão de quatro anos a quatro atletas do Seven e clube recorre às instâncias desportivas e judiciais 15 Novembro 2022

A ONAD-CV decidiu aplicar uma suspensão de quatro anos a quatro atletas de andebol feminino do Seven Stars, “por recusa ao controlo antidoping”, posição contestada pela direcção do Seven que vai recorrer nas instâncias desportivas e judiciais.

ONAD-CV aplica suspensão de quatro anos a quatro atletas do Seven e clube recorre às instâncias desportivas e judiciais

De acordo com o relatório final do processo disciplinar instaurado as atletas Carina Santos, Indira Gandy, Nádia Pereira e Rosângela Andrade pela ONAD-CV e que a Inforpress teve acesso, as atletas em causa foram suspensas por quatro anos da competição por terem recusado serem submetidas a testes de controlo antidopagem, em Julho, após um jogo no Pavilhão Desportivo no Vavá Duarte.

A Organização Nacional Antidopagem de Cabo Verde (ONAD-CV) justifica, em nota datada de 10 de Novembro de 2022, a pena aplicada a atletas em como “ao recusar-se a submeter-se ao controlo de teste antidopagem após de notificação para o efeito” as atletas em causa agiram “de forma livre, voluntária, e de forma ilícita, suscetível de configurar violação das normas antidopagem”.

Com esta sanção, a ONAD comunica as partes que durante este período, isto é, os quatro anos, as atletas em causa “estão impossibilitadas de participar a qualquer título, em qualquer competição ou actividade, salvo participação em programas de educação antidopagem ou de reabilitação, autorizadas (…)”.

A direcção do Clube Juvenil Sevens Stars não se conforma com o desfecho deste processo, pelo que em comunicado assinado pelo presidente Francisco Livramento endereçado à imprensa, anuncia que vai interpor um recurso a ser apresentado ao WADA Foundation Board e ao Tribunal da Comarca da Praia, denunciando situações que consideram gravíssimas.

O Seven Stars alega que as atletas penalizadas foram submetidas “a pressões psicológicas e sessões de terror”, por parte do próprio presidente da ONAD-CV, Emanuel Passos, e de “tentativa de aliciamento por parte dos técnicos” desta organização antidopagem para que denunciassem outros atletas que usassem substâncias proibidas em troca da redução de penas.

“Independentemente do processo de recurso em andamento, queremos afirmar que estamos perante um acto de puro revanchismo e sem precedentes na história do desporto cabo-verdiano”, lê-se na nota do Seven Stars que acusa a ONAD-CV de aplicar uma sanção tremendamente exagerada e desproporcional, somente para mostrar serviços, “num desporto puramente amador”.

Outrossim, considera a direcção do Seven Stars que a ONAD-CV revelou “muita imaturidade e muito revanchismo” quando “as instituições desportivas requerem muita sensatez e ponderação na hora das decisões que podem afectar o desporto cabo-verdiano”.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project