REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Óbito: “João Fortes foi sem dúvida uma referência para a nova geração de artesãos” – director do CNAD 15 Junho 2020

O director do Centro Nacional de Artesanato e Design (CNAD), Irlando Ferreira, considerou que o mestre-artesão João Fortes, que faleceu neste domingo, no Mindelo, foi “sem dúvida” uma “referência” para a nova geração de artesãos.

Óbito: “João Fortes foi sem dúvida uma referência para a nova geração de artesãos” – director do CNAD

Irlando Ferreira lembrou que João Fortes foi um dos artesãos da segunda geração que conseguiu manter de pé o então Centro Nacional de Artesanato (CNA), após ser um dos alunos dos membros fundadores e adquirir os conhecimentos transmitidos pelos mestres Bela Duarte, Luísa Queirós e Manuel Figueira, nos anos oitenta.

“João Fortes acabou por ser também uma referência para os mais novos da geração após a sua e que passaram pelas suas mãos, no artesanato, tecelagem, batik e pintura”, considerou este responsável do centro, adiantando ter sido o mestre-artesão “muito importante” para a instituição para o qual fazia parte até agora.

“É uma grande perda, não só para o CNAD, mas também para toda a classe artística, já que João Fortes, além de artesão, era pintor e navegou em várias áreas da cultura, inclusive na música”, sublinhou Irlando Ferreira, endereçando pêsames e uma palavra de conforto à família enlutada, em nome da equipa do CNAD e do Ministério da Cultura.

João Fortes faleceu na noite deste domingo, aos 60 anos, vítima de doença prolongada, mas deixa um grande legado, inclusive expostos no CNAD.

CNAD, segundo Irlando Ferreira, conserva no seu acervo trabalhos do artista e mestre artesão tais como Pano de Obra, 1985, um trabalho inédito onde são representadas crianças; Tapeçaria Kolá San Jon, 2016; e ainda, recentemente, emprestou o seu saber técnico e artístico à obra “Sem Título” de Manuel Figueira no âmbito da Residência Teada 2018, juntamente com os companheiros de jornada Joana Pinto e Marcelino dos Santos.

Há ainda a Renda Brava, residência que teve início a partir dos desenhos de João e Ilustração do Mapa Cabo Verde presente na Residência Criativa e Catálogo Kutxi.

Irlando Ferreira sublinhou o facto de mestre-artesão se considerar uma das “três pedras de fogon” (três pedras do fogão, em português), que juntamente com Marcelino dos Santos e Joana Pinto, lutaram pela permanência do centro, dedicando-lhe a sua energia e mestria. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project