NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Óbito: Rosalina Barreto recordada como “amante incondicional” e conhecedora da história da Cidade Velha 08 Novembro 2022

A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago manifestou o mais profundo pesar pela morte, esta segunda-feira, de Rosalina Barreto, e recorda a malograda como uma amante incondicional da Cidade Velha e conhecedora “como ninguém” da sua história.

Óbito: Rosalina Barreto recordada como “amante incondicional” e conhecedora da história da Cidade Velha

Segundo a Inforpress, Rosalina Monteiro Barreto (1937), antiga funcionária da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago (CMRGS), e colaboradora do Ministério da Cultura, terá morrido por causas naturais, na Cidade Velha, na manhã desta segunda-feira, 07, aos 84 anos.

Em nome da CMRGS, o presidente, Nelson Moreira, manifestou o seu mais profundo pesar e sentimento pelo passamento físico desta colaboradora fiel às causas da Cidade Velha, conhecida pela recepção e orientação de todos quantos já visitaram este património mundial, através das suas histórias narradas.

A malograda foi uma incondicional amante da Cidade Velha e conhecedora da sua história, como ninguém, e preservadora dessa mesma história, através da oralidade e da sua vivência nesta que é Cidade Património da Humanidade, desde 2009”, lembrou o presidente.

“Neste momento de dor”, a CMRGS, assim como os munícipes da Ribeira Grande de Santiago se solidarizam com os amigos e família enlutada, expressando a mais profunda empatia e solidariedade.

Também o Instituto do Património Cultural (IPC) já reagiu ao falecimento de Rosalinda Monteiro Barreto, mais conhecida por “Dona Linda”, pela sua colaboração desde os anos 80 com o Ministério da Cultura, tendo acompanhado as primeiras intervenções de reabilitação e prospecções arqueológicas.

Ainda, foi, por conseguinte, uma importante portadora da memória do sítio e uma das grandes defensoras da classificação da Cidade Velha como património mundial e uma das figuras incontornáveis do sítio histórico», realçou o IPC, que reconheceu a suas prestações nas causas da Cidade Velha, mesma a sua aposentação em 1995.

Neste momento de dor, manifestou também as “mais sinceras” condolências aos familiares e amigos, escreve a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project