Retratos

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Óbito do burkinabê Idrissa Ouédraogo, realizador de ’Tilai’ 21 Fevereiro 2018

O realizador Idrissa Ouédraogo, de 64 anos, faleceu neste domingo, 18, numa clínica de Ouagadougou, anunciou a União de Cineastas do Burkina-Faso. "Vamos continuar o filme que ele iniciou". A promessa é dos seus estudantes, ainda chocados com a sua perda: " Foi um embondeiro que caiu".

Óbito do burkinabê Idrissa Ouédraogo, realizador de ’Tilai’

"A África perde um dos seus melhores embaixadores no domínio da cultura ", afirmou o presidente do Burkina-Faso, Roch Marc Christian Kabore, no comunicado de condolências dirigido "à família enlutada e comunidade de cineastas burkinabês".

Da obra de Idrissa Ouédraogo constam cerca de quarenta filmes, documentários e curtas-metragens. Alguns dos seus filmes receberam prémios de grande prestígio, muitos deles atribuídos pela primeira vez a um cineasta africano.

Em 1986, realizou a sua primeira longa metragem, "Yam daabo" ( A escolha), obra premiada com a Câmara de Ouro, em Cannes, no ano seguinte. Em 1989, "Yaaba" ganhou o prémio da crítica de Cannes. Em 1990, "Tilaï", um retrato das tradições que alimentaram e destruíram uma família, obteve o grande prémio do júri do festival de Cannes.

Em 1993, o filme "Samba Traoré" conta o regresso à aldeia natal dum homem, que dá mostras de ter ficado rico com o seu trabalho numa grande cidade. Mas ele acaba preso: o dinheiro tinha sido obtido através dum assalto. Este filme obteve o Urso de Prata, no Festival de Berlim.

O seu último filme ’Duel au soleil’ (Duelo ao Sol) ficou incompleto. "Vamos terminá-lo, em homenagem ao nosso mestre", prometem os continuadores deste gigante africano da sétima arte.

Fontes: MSN. Le Monde. Foto: France Medias Monde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert

Newsletter

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project