ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ômicron detetado na África do Sul — que nega ser origem — : EUA, Europa, Ásia estão a fechar fronteiras 28 Novembro 2021

Este domingo, a Austrália regista três casos e o Reino totaliza o mesmo número todos de pessoas que estiveram na África do Sul. No sábado 27, sessenta e uma pessoas desembarcadas do voo Joanesburgo-Amesterdão testaram positivo, enquanto nos Estados Unidos Biden alertava sobre "os seis países africanos cujos voos estão suspensos". Nos Países-Baixos, confirma-se que treze dos desembarcaddos de Joanesburgo têm a recém-detetada variante do novo coronavírus, que a OMS na 6ªfª denominou Ômicron.

Ômicron detetado na África do Sul — que nega ser origem — : EUA, Europa, Ásia estão a fechar fronteiras

Este domingo as autoridades da África do Sul expressaram ressentimento quer pelo facto de que o país está a ser apontado como a origem da nova variante Ômicron quer porque a OMS classificou-a "variante preocupante".

O anúncio esta semana levou, de imediato, o Reino Unido, Japão, Singapura, Índia a cancelarem voos e impor medidas restritivas nas deslocações de e para a região sul-africana — África do Sul, Botswana, Eswatini, Malauí, Moçambique, Namíbia. A União Europeia também avisou que estava a preparar-se para fazer o mesmo concertadamente entre os 27.

"O mundo devia estar a apoiar a África do Sul e África, mas não: discrimina e isola-nos", lamentou o Prof. Tulio de Oliveira, bioinformático brasileiro da equipa que em Durban está a estudar a nova variante.

"Os bilionários e as instituições financeiras", prossegue Oliveira, "deviam estar a ajudar o país a resolver os prejuízos na economia causados pelas novas medidas restritivas".

África do Sul detetou, dado o avanço científico do país

O governo da África do Sul voltou a salientar, no domingo, que o país tem sido" muito sincero e transparente" relativamente ao "avanço científico" do país, que tem permitido colaborar com países e instituições internacionais, durante a crise pandémica atual.

Na quinta-feira, o ministro da Saúde anunciou que informou a OMS sobre a descoberta por "cientistas sul-africanos esta semana de alguns genomas da B.1.1.529", provisoriamente tratada como subvariante Delta, "em recolhas feitas entre 14 e 16 deste mês".

Os cientistas sul-africanos indicaram que a província de Gauteng — com a confirmação do primeiro registo na terça-feira de 100 casos da variante — é o epicentro desta variante derivada da Delta — que começaram por designar como "Nu", o nome da letra N em grego clássico, uma designação provisória e que nesta sexta-feira a OMS substituiu por Ômicron.

Portugal fecha fronteira a Moçambique. Entre os vizinhos da África do Sul, o principal afetado nos voos é Moçambique: além de Portugal, a Áustria, Itália, Israel e Singapura proibiram hoje a entrada de viajantes provenientes do país lusófono do Índico.

Mais contagiosa? As autoridades sul-africanas tinham já registado 2.465 casos na quinta-feira. Isso representa o dobro dos casos diários de Covid-19 em Gauteng, província que abrange Joanesburgo /Johannesburg, capital económica, e Pretória a capital legislativa. As duas mais populosas cidades sul-africanas são o epicentro da variante que já foi detetada nas demais oito províncias do país.

O Botswana registou quatro casos, todos em diplomatas estrangeiros que entretanto já tinham deixado o reino vizinho da África do Sul.

Também Hong Kong e Israel anunciaram um caso cada, respetivamente num viajante procedente da África do Sul e outro do Malauí.

Alarme nas bolsas

Os preços do petróleo caíram ontem US$10/barril, a maior queda diária desde abril de 2020. O mercado reage ao alarme sobre o Ômicron, a nova variante do coronavírus detetada na África do Sul.

Os títulos acionistas do Dow Jones caíram 905.04 pontos, ou 2.5%, e estão a 34899.34. É a maior queda desde outubro de 2020. Surge no cenário de incertezas sobre a recuperação económica trazidas pela variante Ômicron, ontem designada pela OMS.

O alarme global que está a causar a descoberta desta mais recente variante do coronavírus na África do Sul teve efeito imediato na queda de preços, não só do petróleo em bruto mas mexeu com os mercados de ações.

— -
Fontes: BBC/SABC.za/WSJ/Financial Time/ODia.mz/JN.pt. Relacionado: Petróleo: Preços têm maior queda em 17 meses — Efeito Ômicron, 27.nov.021.
Fotos: África do Sul (avermelhou-se no mapa) é dado como epicentro de nova variante da Covid-19 com dez mutações face à Delta: Ômicron, na designação atribuída na sexta-feira 26 pela OMS. Voos também de e para Moçambique cancelados na Europa, inclui Portugal, e Ásia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project