SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Santiago: Ondas de assalto à mão armada com sequestro e ferimentos graves a taxistas 18 Agosto 2021

A situação não está nada agradável para os taxistas que nos últimos tempos vêm sendo vítimas de sequestros e assaltos à mão armada em Santiago, com destaque para a capital do país. Um desses assaltos aconteceu, esta terça-feira,17, em que um taxista foi vítima de dois passageiros “Kasubodistas” que apoderaram da viatura que apanharam na cidade da Praia, deixando, depois de subtraíram o telemóvel e todo o dinheiro, o condutor, na zona de Veneza da Calheta de São Miguel, de mãos atadas e com fita adesiva na boca.

Santiago: Ondas de assalto à mão armada com sequestro e  ferimentos graves a taxistas

Conforme apurou a reportagem do Assemanaonline, ontem um taxista que estava a fazer o seu trabalho normal, recebeu uma oferta de “frete” por dois supostos passageiros, solicitando ao condutor que os levassem da Praia até à Calheta de São Miguel, em Santiago. Mas, só que no caminho, apoderaram da viatura, amararam o condutor, colocaram-lhe fita adesiva na boca, lhe tomaram o telemóvel e dinheiro todo e deixaram o taxista na localidade de Veneza, no município de Calheta São Miguel. Desconhece-se, por ora, os autores desse assalto à mão armada e com o sequestro do condutor referido.

Mas a onda de assalto aos taxistas na capital do país não para por aí. Na semana passada, um outro taxista foi assaltado em Achada Grande Trás (ver na foto desta peça), tendo sido ferido pelos assaltantes com uma arma branca no pescoço. A vítima foi depois conduzida, por pessoas que passaram pelo local, ao bloco operatório do Hospital Central Agostinho Neto, onde permaneceu internado por alguns dias.

Classe exige lei mais dura e ameaça fazer justiça com suas mãos

Questionado sobre esses assaltos aos taxistas, o Presidente de Associação dos Taxistas adiantou que tem agendado uma manifestação pacífica para 28 deste més como forma de chamar, mais uma vez, a atenção do governo pelo que se está a acontecer com essa classe profissional. Adriano Monteiro pede mudança das leis e exige uma justiça mais severa para com aqueles que andam a fazer o mal aos condutores de táxis e não só.

“Fala-se muito em câmara de vigilância nos táxis e até mesmo em sistema de alarme para casos de emergência, mas acredito que isso não resolverá o nosso problema. O que queremos é mudança da lei, porque a lei está a proteger os bandidos. O nosso colega não morreu por sorte. O médico disse que se tinha chegado ao hospital pelo menos dois minutos depois teria morrido. E tivemos a informação de que os suspeitos foram capturados pela polícia e apresentados ao tribunal, mas só que já foram soltos. Desse jeito, ganham mais força para continuarem a praticar o mal”, desabafou.

Monteiro ameaça que, caso o governo não tome medidas, vão passar a fazer justiça com as próprias mãos, porque já estão “fartos” de esperar pelas medidas do governo que até então não mudou nada.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project