POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

PAICV acusa Governo de aumentar período de estágios em função das conveniências estatísticas 09 Mar�o 2022

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) acusou hoje o Governo aumentar o período de estágios profissionais em função das conveniências estatísticas, tendo o ministro-adjunto do primeiro-ministro, Carlos Monteiro, refutado a acusação.

PAICV acusa Governo de aumentar período de estágios em função das conveniências estatísticas

Durante uma intervenção, hoje, no debate com o ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Juventude de Desporto, o deputado Luís Pires afirmou que o período de estágio profissional remunerado foi aumentando sempre, ao mesmo tempo que o número de desempregados continua a crescer.

“Primeiro de três para seis meses, e depois para oito meses ou mais em função das conveniências estatísticas, mas é também verdade que o desemprego continua a crescer. Em contraponto aumenta o número de jovens desanimados, formando uma fileira de “frustrados” mesmo fora da pandemia e mesmo em tempos de paz”, disse.

O assunto já tinha sido abordado também pelo deputado da mesma bancada António Fernandes que denunciou que há jovens que passam mais de dois anos nos estágios profissionais.

Luís Pires denunciou ainda o aumento do número de jovens sem emprego e fora do sistema de ensino.

“Estatísticas de 2020 do mercado de trabalho dizem que há 77.480 jovens de 15 a 35 anos sem emprego e fora do sistema de ensino ou formação. E nosso entendimento que o perfil de saída no secundário nos centros de formação e nas universidades está desajustado com as necessidades do mercado de trabalho”, sustentou.

Estágios profissionais e reação do governo

Em reacção, o ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Juventude Desporto, Carlos Monteiro, disse que é falso que os jovens passem mais de dois anos nos estágios profissionais e negou que o Governo esteja a usar essa ferramenta em função das conveniências estatísticas.

O governante desafiou os deputados da oposição a apontarem os locais onde viram jovens há dois anos em estágios profissionais regulamentados pelo Governo dentro do programa de estágios.

Carlos Monteiro sustentou que o programa de estágios profissionais é um programa que existe no mundo inteiro, existindo inclusive empresas que executam programas de estágios em mais de um país.

“Existem empresas internacionais de colocação de jovens em estágios porque é tido como um dos elementos fundamentais para melhorar o curriculum do jovem que andam à procura de emprego, para garantir aos jovens a inserção num contexto de trabalho, melhorar o networking profissional que lhe permitirá não só aumentar as hipóteses de ficar nas empresas onde efectua o estágio, como estar em melhor posição para ser recrutado por outras empresas”, explicou.

Em Cabo Verde, precisou o ministro, o programa tem uma taxa de empregabilidade superior a 60%.

Durante o debate, Carlos Monteiro sustentou que o Governo tem apostado no sistema educativo e na formação profissional para melhorar o perfil dos jovens, no sentido de os tornar “mais competitivos”.

O governante salientou ainda que é preciso fazer uma análise antes e depois da pandemia, sublinhando que aos jovens têm-se apresentado soluções que passam por bolsas de estudos, acesso ao financiamento e crédito à habitação, entre outros. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project