ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

PM reage na China sobre o desmentido ao PR sobre assinatura do SOFA: Ulisses Correia e Silva defende que «não há crise política» e que a relação é de cordialidade entre os dois órgãos da soberania 03 Setembro 2018

Na China, onde se encontra de visita oficial, o Primeiro-ministro da Cabo Verde reage, na sua página de facebook, sobre o desentendimento havido entre o seu Governo e a Presidência da República relativo ao processo da assinatura do controverso acordo de defesa e segurança –Sofa, assinado com os EUA. Ulisses Correia e Silva escreve que a relação é de cordialidade entre os dois órgãos da soberania e que «não há crise política». Isto numa reacção à peça do ASemanaonline que, segundo analistas nacionais, o país está na iminência de entrar numa crise política de consequências imprevisíveis face ao desmentido do ministro dos Negócios Estrageiros, Luís Filipe Tavares, ao Presidente Jorge Carlos Fonseca, que tinha informado, através da recente entrevista que concedeu ao jornal Expresso das Ilhas, que não tinha recebido o acordo SOFA antes da sua assinatura.

PM reage  na China sobre o desmentido ao PR sobre assinatura do SOFA: Ulisses Correia e Silva defende que «não há crise política» e que a relação é de cordialidade entre os dois órgãos da soberania

Apesar disso, o PM veio ao terreiro em defesa do seu ministro de Negócios Estrangeiros, que ultimamente tem sido alvo de vários desmentidos, mesmo entre diplomatas de carreira de vários países amigos sobre dossiers complexos, com destaque para a problemática de isenção de vistos e cooperação com Angola – caso do desmentido do Ministério da Educação daquele país ao MNE de Cabo Verde sobre a possibilidade de Luanda acolher professores cabo-verdianos que queiram trabalhar como contratados em Angola.

Referindo-se ao caso quente que tem a ver com o desentendimento havido entre o Governo e a Presidência da República, o PM escreve que o relacionamento entre os dois órgãos da soberania é de cordialidade e que não existe crise política no país.«Não há crise política. O relacionamento entre o Governo e o Presidente da República sempre se pautou, e continua a pautar, pela cordialidade,
institucionalidade, maturidade democrática e respeito dos dois órgãos políticos de maior relevância para o país. Estes são os valores que defendemos e praticamos. A bem da Nação», replicou, diante da previsão de analistas políticos, ouvidos em primeira mão pelo ASemenaonline, de que Cabo Verde pode estar na iminência de uma grave crise política de consequências imprevisíveis.

Parceria estratégica e Fórum de Cooperação China-África

Referindo-se à sua visita à China, o PM destacou, na sua página no facebook, o desejo de o Governo elevar as relações com aquele país, transformando-o num parceiro estratégico com a construção da Zona Económica Especial de Economia Marítima em S.Vicente. «Destaco o encontro ( que teve, mostrando imagens) muito cordial com representantes do Banco de Desenvolvimento da China (CDB), uma das maiores instituições financeiras do desenvolvimento no mundo. O Governo de Cabo Verde almeja elevar as relações com a China, transformando-se num importante parceiro económico e estratégico desse país, mormente com a construção conjunta da Zona Especial de Economia Marítima em São Vicente (ZEEMSV), projeto no qual o Governo deseja contar com fortes parcerias de instituições financeiras, nomeadamente do Banco de Desenvolvimento da China, na sua construção. Gratificante foi receber da parte do CDB, total abertura em partilhar a sua grande experiência em financiamento de construções de infra-estruturas do género, assim como no desenvolvimento de uma profícua cooperação neste sector», postou, hoje, o PM de Cabo Verde.

Ulisses Correia e Silva salientou, por outro lado, que esta sua vista à China revela uma nova era no relacionamento entre este país asiático e Cabo Verde. «Esta visita revela, antes de mais, um forte empenho numa nova era das relações Cabo Verde-China, baseada na excelência da amizade e cooperação existentes, assim como no desenvolvimento de uma cooperação win-win».

Em relação ao Fórum de Cooperação China-África (FOCAC), que se inicia amanhã, segunda-feira, 3, Ulisses Correia e Silva escreve ainda, na sua página oficial no facebook, que tem a convicção de que servirá para reforçar a cooperação entre China e África, bem como da construção de uma parceria mútua abrangente e estratégica.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project