Legislativas 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Casos da campanha/Polémica: PSD acusa Ulisses Correia e Silva de “terrorista” e de “roubar o povo”, Fernando Elísio refuta as acusações 03 Abril 2021

Em entrevista ao ASemanaonline, o mandatário e coordenador nacional do PSD, José Rui Além, tece duras críticas ao governo de Ulisses Correia e Silva, o qual acusa de “terrorismo” e de alegdamente estar a “roubar o povo”, fazendo uso do COVID-19 para condicionar a liberdade das pessoas a favor do seu “próprio negócio”. O MpD, na voz do seu vice-presidente Fernando Elísio Freire, refuta tais acusações como sendo “falsas” e “disparatentas” e afirma a “determinação” do seu Governo e do MpD em salvar vidas.

Casos da campanha/Polémica: PSD acusa Ulisses Correia e Silva de “terrorista” e de “roubar o povo”, Fernando Elísio refuta as acusações

José Rui Além que é, também, filho do histórico líder do PSD, João Além, é categórico em afirmar que o aumento dos casos do COVID-19 “curiosamente no tempo da campanha” são “inventados” com o intuito de condicionar as campanhas eleitorais, servindo como desculpa para os “fracassos” do Governo do MpD.

O MpD, diz Rui Além, procura causar “medo” e “condicionar a liberdade dos cidadãos”, ao “impedir que as pessoas circulem livremente”, daí que apelide Ulisses Correia e Silva de “terrorista!”. O MpD, considera Além, tem estado a fazer uso do COVID-19 “a favor do seu próprio negócio”.

Um dos objetivos do que considera “manipulação dos números do COVID-19 é de arrecadar apoios externos que possam alegadamente canalizar ao financiamento das suas campanhas autárquicas e, agora, legislativas. Para além de “calar a boca” dos “associados” na Assembleia.

Rui Além vai ainda mais longe e acusa o Governo do MpD de estar alegadamente a “roubar o povo e de “tornar as forças armadas numa instituição duvidosa”, uma vez que faz o uso dos seus agentes “para meter porrada e causar o pânico social”.

Para sustentar a sua teoria, José Rui Além aponta como grande “contradição” o facto de o Governo avançar com tolerância de ponto para a quinta-feira Santa, numa altura em que os números oficiais de contágio pelo COVID-19 atingem números recordes e preocupantes.

Também “useiro” e “vezeiro” nestas “táticas do medo” é o PAICV, considera o nosso entrevistado.

Além diz desconfiar, inclusive, dos números de mortes atribuídos oficialmente ao COVID-19, preferindo culpar as debilidades do sistema de saúde no que tange às evacuações e “deficit de pessoal qualificado”.

Ainda assim, o acusador garante que o PSD tem estado e vai continuar a cumprir com as recomendações de distanciamento social e a utilização de equipamentos de proteção, em respeito ao povo que está “em pânico”.

MpD desvaloriza acusações do PSD

Confrontado com as acusações do PSD, Fernando Elisio Freire, figura de proa do governo cessante e do MpD, desvaloriza as acusações do PSD, considerando-as "falsas e disparatentas". Até porque, garante, “não existem fracassos”. O governo cessante e o MpD, continuam “determinados” no combate ao COVID-19 e esperam sair vencedores nesta guerra, para o bem de Cabo Verde.

Freire acrescenta que antes desta pandemia o país estava "num bom caminho”, mas que, com o surgimento do vírus tudo ficou condicionado a nível mundial e “Cabo Verde não é exceção!”

Elísio Freire sublinha ainda que o MpD e o governo de que faz parte estão e vão continuar a usar e a respeitar todas a medidas sanitárias impostas, “pois que o nosso foco neste momento é em salvar vidas!".

No que falta destas campanhas para as legislativas 2021, Freire sublinha a determinação do MpD em demonstrar o trabalho feito nestes cinco anos da sua governação e a decisão sobre o próximo Governo “caberá aos cabo-verdianos”, no dia próximo dia 18 de Abril. KS/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project