LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Pai investiga até inocentar filhos presos 06 Abril 2022

Os dois irmãos "foram reconhecidos por duas vítimas" dum assalto. Cor da pele, camisa cinzenta e boné igual ao dos malfeitores. Estiveram um mês presos enquanto o pai investigava por conta própria o erro de reconhecimento devido a falhas da polícia que "colocou os dois jovens ao lado de uma única pessoa que não tinha semelhanças com eles".

Pai investiga até inocentar filhos presos

A Globo contou a sua história: "a Justiça mandou soltar na sexta-feira 1, dois jovens negros de Diadema, na Grande São Paulo, que estavam presos há um mês, suspeitos de roubar dois carros".

Luiz César Marques Júnior, de 24 anos, e Gustavo Marques, de 20 anos, tiveram revogada a sua prisão preventiva após o pai conseguir reunir provas a investigar por conta própria.

Libertados no dia 1 de abril, um mês exato após a prisão, em 1 de março, o mais velho dos irmãos expressou a sua indignação pelo erro de reconhecimento e por a polícia não ter atendido ao facto de que na hora do assalto, em São Bernardo do Campo, ambos estavam com o pai num bar da localidade onde moram.

"Não escutaram a gente no momento, o que a gente falou eles simplesmente ignoraram. A Justiça precisa parar com isso, a base de roupa não é base para condenar alguém, procurar investigar mais, olhar pelas pessoas, não pela cor, mas pelo ser humano”, afirmou Luiz César Marques Júnior.

Sem defesa. "Em momento algum deram chances de defesa para os meninos, eu acho que todo homem tem o direito de defesa, mas o sistema não dá o direito, principalmente da gente que é negro”, afirma Luiz César Marques, pai de Gustavo e Luiz.

Vídeo prova

"Eles foram acusados de roubar dois carros por volta das 18h40, porém temos gravações que mostram outra coisa. Foram a um bar com meu tio, chegaram lá perto das 18h20 e permaneceram até serem enquadrados e levados pela polícia, que, mesmo com várias testemunhas alegando a inocência, pouco se interessou em investigar minimamente o ocorrido", disse Jeff Marques, primo dos acusados, ao online Metrópoles.

O pai dos jovens conseguiu com a ajuda dos moradores do bairro reunir imagens das câmaras de seguranças que mostram o trajeto que eles fizeram até o bar em Diadema, desde que saíram de casa por volta das 17h59, até o horário em que chegaram no bar às 18h20. Pelas imagens também é possível ver os dois jovens no local até às 19h30.

Fontes: Globo/Metrópoles.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project