POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Parlamento: Oposição pede retirada da agenda da proposta que cria a Ordem dos Psicólogos de Cabo Verde 10 Mar�o 2021

Os partidos da oposição (PAICV e UCID) pediram hoje a retirada da agenda da proposta que cria a Ordem dos Psicólogos de Cabo Verde, alegando falta do contributo da associação que representa a classe.

Parlamento: Oposição pede retirada da agenda da proposta que cria a Ordem dos Psicólogos de Cabo Verde

Segundo escreve a Inforpress, o pedido foi formalizado durante a aprovação da ordem do dia, com as bancadas dos partidos da oposição a alegarem falta de condições para o parlamento discutir o diploma, tendo em conta a reação da Associação dos Psicólogos de Cabo Verde (APCV) sobre o assunto.

A discussão e aprovação deste diploma no parlamento está envolto de polémica, visto que a APCV manifestou a sua insatisfação por não ter sido ouvida e dar o seu contributo no projecto.

Para o deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) Clóvis Silva, seria necessária uma postura um pouco “mais compreensiva” em relação ao interesse dos psicólogos, cita a Inforpress.

“Não obstante termos esse papel de legisladores temos que ter em conta que somos também representantes e se se analisar o desenho que o diploma estabelece, no fundo passa para a associação toda a responsabilidade para que a ordem funcione”, assinalou.

Nesta linha, pediu o agendamento do diploma para a próxima sessão (a última desta legislatura) e fazer o debate público de um diploma que seja congregador.

O presidente da União Cabo-verdiana Independente Democrática (UCID, oposição), António Monteiro, avança a mesma fonte, considerou que se há uma comissão que está a trabalhar na criação da ordem, “seria aconselhável não discutir” a questão, sem que houvesse uma planificação mais intensa e a assunção da classe.

“Nos queríamos propor que abstivéssemos de discutir essa matéria e que déssemos a oportunidade a essa comissão de poderem pronunciar e fundir em uma única proposta, para se ter um documento que reflicta a realidade da classe em Cabo Verde”, sublinhou.

Já a líder da bancada do Movimento para a Democracia (MpD, poder), Joana Rosa, entendeu que a discussão do diploma nesta sessão é uma “questão de honra” do parlamento, visto que “os deputados são legisladores” por excelência, e “tudo se fez” para que houvesse uma congregação em relação a esta matéria, refere a notícia avançada pela Inforpress.

“Demos entrada com esta proposta e foi socializada com a associação que representa a classe, que, entretanto, não quis aceitar dar o seu contributo, alegando que o diploma teria que ser da iniciativa da organização”, sublinhou.

No seu entender, todos os deputados estão de acordo que há necessidade de uma ordem para os psicólogos, para uma melhor organização e valorização da classe, mas, salientou, não se pode tirar as responsabilidades dos deputados com as iniciativas legislativas.

“Nós estamos abertos ainda a receber uma proposta da associação”, ressaltou.
A proposta da ordem do dia da sessão foi, no entanto, aprovada com 42 votos a favor, sendo 37 do MpD (cinco deputados do PAICV também votaram a favor) e 22 votos de abstenção, com 19 do PAICV e três da UCID.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project