ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Parlamento: PAICV considera que suspensão da Cabo Verde Airlines da BSP pela IATA irá afectar a imagem do país 29 Abril 2020

O PAICV (oposição) considerou hoje que a suspensão da Cabo Verde Airlines (CVA) da BSP (Billing and Settlement Plan), pela IATA (International Air Transport Association), irá afectar directamente a imagem do país e as agências de viagens nacionais.

Parlamento: PAICV considera que suspensão da  Cabo Verde Airlines da BSP pela IATA irá afectar a imagem do país

A constatação, segundo a Inforpress, foi feita pelo deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, Julião Varela, na declaração política na sessão plenária de Abril.

“Essa decisão da IATA é um escândalo que mancha o bom nome e a credibilidade do país. Caso a situação não seja regularizada no prazo de dia 30, será retirada o código VR a CVA impossibilitando assim toda e qual quer operação comercial da companhia aérea”, referiu.

Segundo o deputado, essa suspensão, para além de afectar directamente a imagem do país e da Cabo Verde Airlines, impacta também as agências de viagens nacionais e clientes individuais, já que a suspensão inclui venda pendentes e reclamações de reembolso que não serão liquidadas pela IATA.

Conforme a mesma fonte, o deputado vançou que no momento em que o país é confrontado com a pandemia do coronavírus, que exige a mobilização dos recursos, envolvimento e o sacrifício de todos os cabo-verdianos, os cidadãos são confrontados com mais outra “situação inesperada”, em que a IATA comunica os agentes de viagens credenciados de pararem todas as actividade de emissão de bilhetes da Cabo Verde Airlines, devido a suspensão da companhia aérea cabo-verdiana da Billing and Settlement Plan.

“Há informações que por detrás de aceleração da tomada desta medida da IATA, concorre o conteúdo da intervenção do ministro do Turismo e Transportes, que na “estranha substituição” do accionista maioritário, Icelandair, e do próprio conselho da administração, terá anunciado a eventual falência da CVA, numa entrevista concedida no dia 08 de Abril”, sublinhou.

Segundo o deputado, um anúncio dessa envergadura feito pelo Governo, que é “accionista minoritário, mas é o principal avalista da empresa”, terá despertado a atenção especial dos vários credores da companhia, entre os quais a IATA, sabendo que a suspensão está relacionada com uma dívida da Cabo Verde Airlines de aproximadamente 2,5 milhões de dólares.

“Embora se possa admitir que a situação da CVA é agravada pela situação da pandemia da covid-19, não é de se perder de vista que a mesma já vinha se arrastando algum tempo, com informações vindas ao público e denunciadas bastas vezes, da “gestão desastrosa” das operações e das rotas, fazendo com que “prejuízos avultados sejam acumulados em rotas altamente deficitários”, como Brasil, Washington, Itália, Boston, após a deslocalização dos voos da Praia para o Sal”, referiu.

Para o PAICV citado pela Inforpress, o Governo deve uma explicação aos cabo-verdianos, sendo que é necessário e urgente esclarecer questões que dizem respeito à situação real da empresa, qual é a responsabilidade do accionista privado, que é maioritário, e porque é que o Estado dá voz ao conselho da administração, sendo accionista minoritário.

“O que o Governo pretende ou estar a fazer em relação a essa suspensão da IATA, sendo que se trata de uma situação muito grande e delicada, se atendemos que a IATA só adopta essa postura quando a companhia em causa estiver em dias de falência”, rematou, segundo a mesma fonte, Julião Varela.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project