POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Parlamento: Problemática dos transportes aéreos no País volta à ribalta no debate parlamentar 13 Julho 2022

A problemática dos transportes aéreos no País voltou hoje à ribalta, no parlamento, com o PAICV a responsabilizar o Governo pela situação, enquanto o deputado Emanuel Barbosa, do MpD, disse que a oposição se preocupa apenas com “coisinhas”.

Parlamento: Problemática dos transportes aéreos no País volta à ribalta no debate parlamentar

Segundo o grupo parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) citado pela Infrpress, devido à não renovação atempada do Certificado de Operador Aéreo, a companhia de bandeira nacional foi impedida de voar para a Europa, o seu principal mercado.

“(…) Depois de o Governo ter injectado 10,9 mil milhões de escudos por dia nos TACV só no ano de 2018, depois de ter concedido avales em milhares de contos e depois de “desprivatizar” a empresa, eis que a situação se agrava, neste momento, devido à não renovação atempada do Certificado de Operador Aéreo”, lamentou o porta-voz do grupo parlamentar do PAICV, acrescentando que neste momento a companhia de bandeira nacional está impedida de voar para a Europa, o seu principal mercado.

Julião Varela fez essas considerações, em declaração política apresentada em nome da sua bancada parlamentar.

Na perspectiva do PAICV, é “lamentável a forma simplista e irresponsável” como a direcção da TACV vem encarando essa proibição em solo europeu, uma situação, sublinhou, que vai permanecer até que a situação seja regularizada.

No domínio da certificação, a TACV e a aviação civil cabo-verdiana, segundo a mesma fonte, têm um “histórico de competência e boas práticas”.

Segundo a mesma fonte, o PAICV questionou, ainda, se o País já recebeu tudo o que tinha a receber da Icelandair, nomeadamente os 48 mil contos da venda inicial da TACV e como ficam os vales e garantidas dados pelo Governo, assim como os custos resultantes de um ano de imobilização do Boeing-757 arrestado pela empresa de Segurança Aérea (ASA) e as dívidas com o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

No sector dos transportes marítimos, pontuou o PAICV, os cinco barcos novos que a concessionária deveria apresentar nos termos do contrato de concessão nunca chegaram.

“Os barcos actualmente afectados às operações passam de avaria em avaria e os serviços prestados têm estado a provocar enormes prejuízos para os passageiros e operadores económicos”, concluiu o PAICV.

Reaões do MpD e UCID

Em reacção à declaração política do maior partido da oposição, o parlamentar do Movimento para a Democracia, Emanuel Barbosa, acusou a oposição de ficar à espreita de “qualquer coisinha” para fazer “exploração política”, não se preocupando em contribuir para ajudar a resolver os problemas do País.

Reconheceu que a situação da TACV-Cabo Verde Airlines “não é fácil”, mas que o Governo está empenhado “de forma abnegada” para resolver, acrescentou a Inforpress.

Por sua vez, o deputado da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID, oposição), António Monteiro, considerou que há problemas de ligação marítima, nomeadamente entre Praia e São Vicente, apelando ao Governo para encontrar soluções para este problema.

Sobre os transportes aéreos, segundo Monteiro, as ligações da TACV para o exterior “não estão bem”.

No entender do deputado da UCID, a direcção da TACV refugiou-se em questões técnicas para não falar verdade à população no que tange à não renovação do Certificado de Operador Aéreo, conclui a fnte deste jornal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project