POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Partido no poder em Cabo Verde elege Luís Carlos Silva como novo secretário-geral 02 Outubro 2022

A direção nacional do Movimento para a Democracia (MpD) elegeu este sábado o deputado Luís Carlos Silva como novo secretário-geral do partido no poder em Cabo Verde desde 2016.

Partido no poder em Cabo Verde elege Luís Carlos Silva como novo secretário-geral

Temos a indicação do deputado Luís Carlos Silva, é o candidato único”, anunciou Mircéa Delgado, vice-presidente da mesa da direção nacional do MpD, em declarações aos jornalistas, esta tarde, à margem dos trabalhos daquele órgão, que decorrem desde o início da manhã na Assembleia Nacional, na Praia.

Luís Carlos Silva vai suceder assim a Filomena Delgado como secretário-geral do partido que Governo Cabo Verde desde as legislativas de 2016.

“Devo também dizer, em nome da direção nacional, uma palavra de apreço da doutora Filomena Delgado pelo bom desempenho a favor do MpD e do país durante os tempos que esteve à frente da secretaria-geral do partido”, afirmou ainda Mircéa Delgado.

A reunião da direção nacional do MpD, partido presidido por Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro, analisou ainda a situação do país, afetado pela crise provocada pelos mais de quatro anos de seca, pelas consequências económicas da pandemia de covid-19 e pela crise inflacionista decorrente da guerra na Ucrânia.

Temos todos que ter a consciência que nos próximos anos, nos próximos tempos, teremos muitos desafios e esperamos que os cabo-verdianos estejam de mãos dadas para enfrentar as consequências desse momento difícil que passa o mundo inteiro e assim possamos garantir que ninguém fique para trás”, afirmou a dirigente do partido.

“A solidariedade com os mais vulneráveis terá que ser a palavra de ordem. Por isso, lançamos um forte apelo aos partidos políticos, às várias organizações sociais e à sociedade civil, para que estejamos juntos no essencial, neste momento difícil que o país atravessa e que todos os cabo-verdianos, estejam eles cá ou na diáspora, também atravessam”, acrescentou Mircéa Delgado.

O arquipélago enfrenta uma profunda crise económica e financeira, decorrente da forte quebra na procura turística - setor que garante 25% do Produto Interno Bruto (PIB) do arquipélago - desde março de 2020, devido à pandemia de covid-19.

Em 2020, registou uma recessão económica histórica, equivalente a 14,8% do PIB, seguindo-se um crescimento de 7% em 2021 impulsionado pela retoma da procura turística. Para 2022, devido às consequências económicas da guerra na Ucrânia, nomeadamente a escalada de preços, o Governo cabo-verdiano baixou a previsão de crescimento de 6% para 4%. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project