POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Partido no poder em Cabo Verde quer conquistar juventude e estar sintonizado com sociedade 26 Fevereiro 2022

O presidente do Movimento para a Democracia (MpD, no poder) disse hoje que o partido quer conquistar mais jovens, estar sintonizado com a sociedade e na vanguarda do debate de temas importantes para em Cabo Verde.

Partido no poder em Cabo Verde quer conquistar juventude e estar sintonizado com sociedade

"É sempre importante proteger e aprimorar a nossa democracia, estar sintonizado com as grandes aspirações da sociedade cabo-verdiana e ter um papel muito ativo na ação política", disse Ulisses Correia e Silva aos jornalistas, no âmbito de uma conferência que o MpD realizou, na cidade da Praia, sobre os "Desafios dos Partidos Políticos no Séc. XXI".

O líder partidário começou por lembrar que o mundo mudou muito nos últimos anos e que os partidos políticos têm que estar sintonizados com os novos desafios e os novos momentos e serem cada vez mais um contribuinte ativo ao serviço do país.

Para Correia e Silva, o contexto de crises, como a energética, do clima, a pandemia da covid-19 e agora a guerra na Ucrânia, torna mais importante os partidos políticos.

"E nós temos de estar à altura, não só de passar uma mensagem muito forte para a sociedade cabo-verdiana em termos de confiança, mas de procurar também novas soluções, para tornar este país mais resiliente, menos vulnerável e atingirmos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sustentou o presidente do MpD.

O também primeiro-ministro de Cabo Verde considerou que o grande desafio é conquistar a juventude para as motivações partidárias, entendendo que, para isso, o partido deve reinventar sempre, estar aberto, criar espaços de participação e de debate.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!
Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.
A conferência acontece numa altura em que já se ouve alguma crítica interna à liderança do MpD, mas Ulisses Correia e Silva normalizou, dizendo ser bom que os partidos políticos criem espaços de convergência.

"Mas lá onde há dissensos são normais, o fundamental é garantir que todos seremos mais fortes, não há aqui um problema dentro do MpD relativamente a questões relacionadas com eventuais disputas, que são livremente disponíveis para quem quiser ter o encargo em se candidatar", respondeu.

A conferência inaugural teve como oradores o antigo autarca e antigo presidente do MpD Jacinto Santos e o ex-presidente do CDS Paulo Portas, este por videochamada.

Este tipo de debate vai ser realizado durante este ano no país e na diáspora cabo-verdiana, sendo que a segunda vai acontecer na cidade do Mindelo, ilha de São Vicente, em março, precisamente no mês (dia 14) em que o MpD completa 32 aos de existência.

Com esta iniciativa, o partido que regressou ao poder em Cabo Verde em 2016 pretende ouvir e recolher contributos dos militantes, simpatizantes, dirigentes nacionais e locais e da diáspora, personalidades da sociedade, e introduzir os ajustamentos que se revelarem úteis para o nosso modelo de organização, o programa político, os estatutos e a relação com a sociedade. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project