SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Paul: Ministério da Educação vai distribuir dez mil televisões para apoiar famílias carenciadas 27 Agosto 2020

O director Geral de Planeamento, Orçamento e Gestão, José Manuel Marques, revelou que o Ministério da Educação (ME) vai distribuir cerca de dez mil televisores para apoiar as famílias mais carenciadas.

Paul: Ministério da Educação vai distribuir dez mil televisões para apoiar famílias carenciadas

O director Geral de Planeamento, Orçamento e Gestão, José Manuel Marques, revelou que o Ministério da Educação (ME) vai distribuir cerca de dez mil televisores para apoiar as famílias mais carenciadas.

Em declarações à Inforpress, esta terça-feira, no Paul, José Manuel Marques afiançou que o ME está “criando” as condições de apoio ao processo de ensino/aprendizagem que vai continuar a funcionar na televisão, enquanto “meio de auxílio” no processo educativo.

“Vamos distribuir cerca de dez mil televisores para as famílias que não dispõem deste meio”, assegurou José Marques, acrescentando que, o processo “está bem avançado” e que antes do arranque do novo ano lectivo será “desencadeado” em cada concelho” diz a mesma fonte, segundo a infopres.

Conforme o que escreve a inforpress, o dirigente explicou que se trata de um “processo complexo” “que se articula” com o Cadastro Social Único, pelo que as famílias que vão ser “seleccionadas” têm que estar inscritas no programa social e têm que ter, também, “crianças ou adolescentes” com “idade de permanência” no ensino secundário.

Quanto às zonas de sombra onde não se têm cobertura de televisão ou mesmo rádio, o director Geral de Planeamento, Orçamento e Gestão do ME afirmou que o “sistema” vai continuar a funcionar na mesma “lógica do ano passado.
“Vamos continuar com a televisão, rádio e com as fichas e aulas presenciais nas modalidades que garante segurança ao aluno”, o que se vai fazer em termos pedagógico é reduzir o tempo lectivo e as turmas vão ser divididas”” enfatizou.
De acordo com a inforpress, o responsável revelou que “não há necessidade” de “novas contratações” de docentes, tendo em conta que os professores vão leccionar “menos tempo” do que antes.

“Há necessidade, sim, de reestruturar todo o processo e também ter um grande engajamento, seja dos professores e famílias, como de todos aqueles que participam da vida educativa do aluno na escola”, esclareceu.
Em relação ao concelho do Paul, a mesma fonte garantiu que “tudo está a postos” para o arranque do ano lectivo no município.

É de salientar que, o arranque é fruto de um trabalho da delegação escolar local, juntamente com as escolas para criar as melhores condições do arranque do novo ano lectivo que inicia no dia 01 de Outubro.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project