INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Pelo menos 14 mortos em ataque armado a prisão no México, 24 reclusos fugiram 02 Janeiro 2023

Pelo menos 14 pessoas morreram, incluindo dez guardas, num ataque armado no domingo a uma prisão em Ciudad Juárez, na fronteira com os Estados Unidos, durante o qual pelo menos 24 reclusos escaparam, disseram as autoridades.

Pelo menos 14 mortos em ataque armado a prisão no México, 24 reclusos fugiram

Em comunicado, o Ministério Público do estado de Chihuahua acrescentou que quatro presos morreram e outros 13 ficaram feridos. "O ataque ocorreu ao amanhecer do domingo. Homens armados chegaram em veículos blindados e abriram fogo sobre os guardas", cita a Inforpress, acrescentando que famílias de reclusos estavam à espera de entrar na prisão para visitar familiares por ocasião do Ano Novo.

De acordo com a investigação inicial, o ataque destinava-se a facilitar a fuga de um grupo de prisioneiros. Com a ajuda do exército, a polícia efectuou quatro detenções, acrescentou o Ministério Público, sem especificar se se tratava de prisioneiros ou assaltantes em fuga.

Segundo os "media" locais, alguns reclusos revoltaram-se dentro da prisão, ateando fogo a vários objectos e confrontando guardas. "O tiroteio provocou o pânico entre os residentes fora da prisão, e as autoridades municipais pediram às pessoas para se manterem afastadas da área. O Ministério Público disse que as forças de segurança conseguiram controlar a situação na prisão cerca de cinco horas após o ataque", escreve a Inforpress.

Sabe-se que a prisão de Ciudad Juárez, cidade crucial para o tráfico de droga para os Estados Unidos, integra membros dos grupos armados dos cartéis de Sinaloa e Juárez, que lutam pelo controlo da região há mais de 15 anos.

A prisão estatal tem sido palco de vários motins, incluindo um que resultou em 20 mortos em Março de 2009, um dos mais sangrentos da história do país. Em Agosto de 2022, um confronto entre gangues rivais terminou com a morte de três reclusos. "A prisão está sob a jurisdição do governo do estado de Chihuahua".

Segundo um relatório da Comissão Nacional dos Direitos Humanos de Fevereiro passado, mais de 3.700 pessoas estão detidas nesta prisão, embora a capacidade seja de apenas 3.135 lugares.

Os centros de detenção do México, principalmente os geridos pelos estados, sofrem de problemas crónicos de sobrelotação e violência, que se agravaram nos últimos anos devido aos combates entre grupos criminosos.

De acordo com números oficiais, o México registou mais de 340 mil homicídios, na sua maioria atribuídos a organizações criminosas, desde o lançamento de uma controversa ofensiva militar contra a droga em Dezembro de 2006.

Asemana C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project