Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Péricles Tavares considera “decisão precipitada” a rejeição da sua candidatura à Presidência da República 24 Agosto 2021

O cidadão Péricles Tavares considerou hoje a rejeição da sua candidatura à Presidência da República, pelo Tribunal Constitucional, como uma “decisão precipitada” por parte dos juízes.

Péricles Tavares considera “decisão precipitada” a rejeição da sua candidatura à Presidência da República

“A primeira não é estranha, para mim, na medida em que não cumpri com os requisitos segundo manda a lei, mas de qualquer forma fica tudo em aberto e o futuro dirá o que, de facto, esses juízes fizeram ao não fazerem investigação tomando uma decisão precipitada”, disse segundo a Inforpress.

Péricles Tavares é de opinião que os juízes “que se dizem tão inteligentes” foram enganados “duas vezes” pelos dois mandatos do tual Presidente da República.

“O que é importante dizer é que o senhor Presidente da República está fora da lei e conseguiu passar a perna aos juízes. Vai haver mais pessoas a fazerem isso, pelo que é preciso haver investigação para daqui a dois meses não passarmos a ter um outro Jorge Carlos Fonseca no palácio da presidência”, argumentou.

Ainda em declarações à Inforpress, Péricles Tavares disse que a dupla nacionalidade alegado pelo Tribunal Constitucional (TC) como um entrave para a sua candidatura dependerá muito da interpretação dada por estes.

O que poderia penalizar a sua candidatura, assegurou, era a falta de assinaturas ou outros incumprimentos.

Por estas e outras, ressaltou, a intenção da candidatura foi denunciar o “fechar dos olhos” dos juízes em relação a uma e outra personalidade.

Apesar disso, adiantou que vai continuar a dar a sua contribuição para o desenvolvimento do país e continuar sempre “vivo” na preparação do homem novo e do Cabo Verde moderno.

Finalizou a sua declaração afirmando que não é por “morrer uma andorinha que acaba a primavera”.

Esta manhã o Tribunal Constitucional anunciou que todos os processos de candidaturas ao cargo de Presidente da República, cuja realização do primeiro sufrágio foi marcada para o dia 17 de Outubro, foram aceites com excepção da de Péricles Tavares.

“Rejeita-se a candidatura do cidadão Péricles Octaviano Augusto Galiva Tavares, por enfermar de inelegibilidades e irregularidades que não foram supridas”, lê-se no documento do TC.

A mesma fonte explicou que na análise do processo foi constatado que a referida candidatura não tinha apresentado alguns documentos, como a indicação de profissão e residência, a certidão de inscrição no recenseamento eleitoral, o documento que prova que reside no país há mais de 36 meses, a declaração de que não é titular de outra nacionalidade e a indicação do mandatário nacional.

Com esta decisão, que consta do despacho de 23 de Agosto, do Juiz Presidente do Tribunal Constitucional, João Pinto Semedo, fica em definitivo completa a lista dos candidatos ao cargo de Presidente da República, que passam a ser sete, José Maria Neves, Carlos Veiga, Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, Hélio Sanches, Joaquim Monteiro e Casimiro de Pina, cnclui a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project