LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Podem ter mais de seis metros e pesar uma tonelada.... Há um crocodilo à solta no Douro 08 Junho 2020

Um crocodilo do Nilo foi avistado na margem espanhola do rio Douro. As autoridades procuram capturar o animal que, garantem os especialistas, é perigoso para os humanos.

Podem ter mais de seis metros e pesar uma tonelada.... Há um crocodilo à solta no Douro

Pode ultrapassar os seis metros de comprimento, pesar mais de uma tonelada e viver além dos 100 anos. O crocodilo do Nilo, o animal que está à solta no rio Douro, é muito perigoso... mas, mesmo assim, há quem o queira como bicho de estimação.

Desde sábado que as autoridades espanholas procuram um crocodilo do Nilo, avistado no rio Douro, na zona de Pesqueruela, em Valladolid, Espanha. (Para quem não se lembra, o rio Douro nasce nos picos da Serra de Urbión, na província espanhola de Sória, a 2160 metros de altitude, e atravessa, segundo vários escritos, o norte de Portugal, até a sua foz junto às cidades do Porto e Vila Nova de Gaia. É o terceiro rio mais extenso da península Ibérica).

Fonte da polícia local indicou à TSF que o animal foi visto por dois moradores e um agente da autoridade, em dois dias seguidos. Além destes avistamentos, as únicas pistas são as pegadas deixadas pelo animal nas margens do rio...

"Atendemos todos os tipos de chamadas, mas a recebida hoje às 14h27, surpreendeu-nos. A Polícia local de Simancas e Seprona foram mobilizadas para localizar um crocodilo que foi visto na confluência do Douro e do Pisuerga", escreveram, no Twitter, as autoridades espanholas, que espalharam armadilhas para tentar capturar o crocodilo.

O biólogo marinho Élio Vicente, diretor do centro de reabilitação do Zoomarine, explica à TSF que este animal pertence à "segunda maior espécie de crocodilos" que existe no planeta. O seu habitat natural é em África, continente onde representa uma das causas de mortes humanas registadas. Sim, são carnívoros.

"Eles capturam as suas presas e levam-nas para debaixo de água", indica Élio Vicente. "São animais perigosos."

"Os machos, às vezes, podem ultrapassar os seis metros e ter mais de uma tonelada de peso. É muito difícil lidar fisicamente com este animal", constata o biólogo, explicitando que o único ponto fraco do crocodilo do Nilo são "os olhos".

E, agora, a pergunta que está na mente de muitos: como vai um perigoso crocodilo africano parar ao rio Douro? A resposta é que, provavelmente, se trata de um animal de estimação.

"Não é muito comum, não há um em cada família, certamente, mas eles existem à venda", adianta Élio Vicente.

O biólogo esclarece que, como estes são animais que geralmente vivem até aos 70 anos - podendo mesmo, em alguns casos, ir além dos 100 -, muitos deles foram comprados há décadas e ainda hoje se encontram no nosso território.

"No caso do crocodilo do Nilo, se bem tratados, são animais que podem viver mais de 100 anos. São répteis, têm um crescimento permanente ao longo de toda a sua vida, por isso é que podem ficar tão grandes, e, efetivamente, alguns destes animais foram comprados há décadas", refere Élio Vicente.

No entanto, mesmo nos dias que correm, é possível comprar um crocodilo para criá-lo como animal doméstico.

"Sabemos que, ilegalmente, conseguimos comprar tudo. Quem quiser, consegue comprar estes animais, inclusivamente em Portugal", frisa o biólogo, que, esta tarde, apresenta o livro "Cobras, lagartos e baratas - os melhores amigos do Homem", que trata sobre os mais variados animais de estimação exóticos.

Mas, partindo do princípio de que não somos adeptos de ter répteis gigantescos em casa, há motivos para estarmos preocupados? O animal que anda à solta no Douro pode representar um perigo para nós? Élio Vicente responde: "Tecnicamente, é muito difícil [que o crocodilo à solta chegue a Portugal], porque os rios têm limitações físicas, barreiras e pequenas albufeiras, e, tendo em conta a caça que vai ser feita a este animal, é pouco provável que ele chegue cá".

No entanto, o biólogo ressalva que estes animais "são capazes de fazer grandes percursos" e podem estar "até duas horas submersos", pelo que é necessária alguma atenção.

"Caso as autoridades espanholas não consigam detetar [o crocodilo] nas próximas semanas, nós, em Portugal, devemos ter algum cuidado", avisa. Fonte: TSF

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project