ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto Novo: APN garante redução do custo de água dessalinizada com investimentos de 16 mil contos em curso no município 05 Novembro 2020

Águas do Porto Novo (APN) têm já em fase adiantada de implementação investimentos de 16 mil contos, que vão permitir a diminuição dos custos de produção e, consequentemente, possibilitar a redução do preço da água dessalinizada, neste município.

Porto Novo: APN garante redução do custo de água dessalinizada com investimentos de 16 mil contos em curso no município

De acordo com uma nota publicada no site da empresa Águas da Ponta Preta (APP), o maior accionista da APN, com 80 por cento (%) das acções, explica que esses investimentos, que estarão concluídos “em breve”, vão permitir a redução do preço da água dessalinizada no Porto Novo, “na ordem dos 05 %”.

Os projectos, que se inserem na “contínua procura da eficiência e da sustentabilidade” da APN, consistem na instalação de uma central fotovoltaica de 55 kWp, que vai permitir a utilização de energia renováveis na produção de água dessalinizada, e na construção de um posto de transformação de 250 KVA “para aquisição de electricidade da rede pública na tarifa de média tensão”.

“Estes investimentos, que contam com uma ajuda financeira, a fundo perdido, no âmbito do projecto GEF-UNIDO: “Acesso à Energia Sustentável para Gestão de Recursos Hídricos: Nexo Energia-Água” promovido pelo Governo de Cabo Verde, vão permitir reduzir o preço da água dessalinizada na ordem dos 05%”, estima a nota.

Esta notícia vai ao encontro das expectativas dos utentes, que se têm queixado do “elevado preço” de água dessalinizada produzida, desde 2008, pela APN, empresa que resultou de uma parceria público-privada, envolvendo a APP, o Governo de Cabo Verde e o município do Porto Novo.

A APN foi criada com a finalidade de construir e explorar uma instalação dessalinizadora de água do mar para abastecimento público, com uma capacidade de produção de 1.000 metros cúbicos/dia, com uma estação de elevação à rede pública e com auto-produção de energia eléctrica.

De acordo com a nota, esta parceria público-privada, que representou um investimento de 240 milhões de escudos, tem garantido, “em quantidade e qualidade”, o abastecimento de água potável à cidade do Porto Novo, tendo disponibilizado, nos últimos 12 anos, um volume de 2,7 hectómetros cúbicos.

Esta empresa, que dispõe das certificações de qualidade HACCP e ISO9001:2015, opera como produtor independente, sob concessão na modalidade “Built, Operate & Transfer” e fornece toda a produção de água dessalinizada aos Serviços Autónomos de Água e Saneamento (SAAS) no Porto Novo, que se encarregam da distribuição a mais de 2.800 utentes, através da rede pública.

A APN, segundo a mesma nota, gera um volume de negócios anual de 45 milhões de escudos, empregando seis pessoas.

Saliente-se que em Julho, foi publicada a resolução nº90/2020 do Conselho de Ministros, que contempla à APN como parceiro estratégico na futura empresa intermunicipal Águas de Santo Antão, que já está em fase de instalação.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project