ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto Novo: Falta de mão-de-obra marca colheita da cana-de-açúcar que dinamiza economia local até Junho 09 Janeiro 2022

A falta de mão-de-obra tem condicionado a safra da cana sacarina no município do Porto Novo, Santo Antão, onde os trabalhos de corte, limpeza e transporte deste produto decorrem, praticamente, em todos os vales agrícolas.

Porto Novo: Falta de mão-de-obra marca colheita da cana-de-açúcar que dinamiza economia local até Junho

Segundo descreve a Inforpress, na Ribeira da Cruz, os lavradores falam em “dezenas” de trabalhadores envolvidos na colheita da cana-de-açúcar, mas ainda assim há falta de pessoas para a faina agrícola neste período do ano, explicou o agricultor Marcelino Medina.

Também no Tarrafal de Monet Trigo os agricultores deparam-se com falta de mão-de-obra, segundo o porta-voz Analides Évora.

Na Ribeira das Patas, a colheita da cana só começa na próxima semana, mas o porta-voz dos agricultores, Arlindo Delgado, admitiu que “todos os anos há falta de mão-de-obra” dado o volume de trabalho à volta desta actividade.

Os produtores agrícolas voltam a enaltecer “o peso” que a safra de cana sacarina tem na economia deste município, contribuindo para a redução do desemprego durante os primeiros seis meses de cada ano.

O período destinado ao corte de cana-de-açúcar e produção da aguardente decorre de Janeiro a Junho.

Porto Novo tem cerca de 30 unidades de produção da aguardente, refere a fonte deste jornal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project