SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto Novo: Habitantes de várias localidades dizem continuar a pagar taxa da televisão na ausência do serviço 11 Agosto 2021

Habitantes de várias localidades do interior do município do Porto Novo, em Santo Antão, denunciaram hoje o facto de continuarem a pagar as chamadas taxas da Rádio Televisão Cabo-verdiana (RTC), quando essas zonas continuam privados deste serviço.

Porto Novo: Habitantes de várias localidades dizem continuar a pagar taxa da televisão na ausência do serviço

É o caso da Ribeira da Cruz, onde, segundo a moradora Maria Helena, não se assiste, “há anos”, às emissões da Televisão de Cabo Verde (TCV) mas, mesmo assim, a taxa é cobrada, mensalmente, através das facturas da empresa de Electricidade e Água (Electra).

Na localidade de Martiene, a moradora Graça Pereira diz ser “injusto” as pessoas continuarem a pagar a taxa por um serviço que não é prestado, opinião partilhada por Fernando Jorge, segundo o qual se trata de “uma situação ilegal”.

Em Alto Mira, o morador Idarlino Fortes lembra, também, que “há anos” que não se consegue captar os sinais da TCV, mas, ao longo desse período, as pessoas têm sido obrigadas a pagar a chamada “taxa da RTC”.

Igualmente, na Ribeira Fria, o residente Adilson Gomes alerta para o facto de os populares serem obrigados a pagar um serviço que não é prestado, situação, já por várias vezes denunciada, lembrou.

Entretanto, a Cabo Verde Broadcast, empresa responsável pela implementação e gestão da TDT no País, disse esperar “brevemente” reduzir o número de zonas ainda sem a cobertura da TDT no interior do Porto Novo, com a construção do centro emissor de Moroços, no Planalto Leste, já em andamento.

Este centro, informou a Cabo Verde Broadcast, cobrirá “uma vasta região” do Porto Novo, que terá “sinal de televisão com qualidade”.

A Câmara Municipal do Porto Novo diz ter a garantia desta mesma empresa de que está prevista a construção de uma emissora no Planalto Norte, mais precisamente na zona da Aldeia do Norte.

Os agricultores em todas as localidades, onde há sistema de produção de água com recurso à energia convencional, fornecida a partir da rede pública, dizem-se descontentes com o facto de essas unidades serem obrigadas a pagar, também, a taxa da RTC”. Asemana c/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project