ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto Novo: PAICV acusa professor Paulo Oliveira de “atitude inadequada” e apresenta queixa à ministra da Educação 04 Novembro 2018

O sector do PAICV no Porto Novo, Santo Antão, acusou, este sábado, Paulo Oliveira, professor do ensino secundário, colocado na escola técnica João Varela, neste município, de “atitude inadequada” como docente e apresentou uma queixa à ministra da Educação para o apuramento da denuncia em causa e consequente processo disciplinar ao docente visado. É que este utilização da máquina do Estado para fazer propaganda politica a favor do partido no poder já provocou confrontos entre alunos da mesma escola e protestos de pais e encarregados da educação. Por isso, o maior partido da oposição poderá, por outro lado, levar o caso à justiça.

Porto Novo: PAICV acusa professor Paulo Oliveira de “atitude inadequada” e apresenta queixa à ministra da Educação

Esta caso é grave e viola a legislação em vigor, que proíbe a instrumentalização ideológica de alunos nas escolas. Para residentes locais, tal prática mostra o estado lastimável em que se encontra o ensino no Concelho do Porto Novo e no país em geral.

A primeira secretária local do Partido Africano da Independência de Cabo Verde neste, Elisa Pinheiro, informou, em conferência de imprensa, que este professor, que é deputado municipal e líder da bancada do MpD na Assembleia Municipal do Porto Novo, tem vindo “constantemente, a fazer, de forma descarada”, propaganda política dentro das salas de aula, “tentando confundir e influenciar, negativamente”, as opiniões dos alunos, com relação ao PAICV..

“Como se isso não bastasse, o mesmo professor resolveu elaborar e aplicar a primeira prova de português deste trimestre aos alunos do 12º ano, utilizando uma imagem pejorativa, com nítida intenção de denegrir o PAICV e o nome da sua presidente, Janira Hopffer Almada”, avançou Elisa Pinheiro, acusando, segundo a Inforpress, Paulo Oliveira de fazer a “montagem de uma imagem” da líder da oposição com “a cara repugnantemente transformada”.

Conforme a mesma fonte, através de um texto distribuído à imprensa pela primeira secretária do PAICV no Porto Novo, que terá sido aplicado aos alunos pelo professor em causa, lê-se: “Por amor à terra, vota em mim. Só destruí 34.327 postos de trabalho. Só criei 16,4 % de desempregados. Só coloquei 157.591 indivíduos em inactividade. Só endividei o país até 114,7% do PIB”.

Elisa Pinheiro acredita que essas referências estão relacionadas com o PAICV, com a presidente deste partido, que já desempenhou as funções de ministra do Emprego.

Confrontes entre alunos e queixas

A líder local da oposição avançou que a prova aplicada pelo professor de português do terceiro ciclo aos seus alunos “já causou confrontos” entre os estudantes e docente, estando ainda “muitos” pais e encarregados de educação “preocupados e indignados” pela forma como os seus educandos têm sido “manipulados” por Paulo Oliveira, também dirigente local do MpD.

“Não restam dúvidas de que este professor vem agindo deliberadamente, usando a escola com a clara intenção de atingir o bom nome e a imagem do PAICV, tentando confundir os alunos, com claros objectivos políticos, chegando ao ponto de utilizar, dentro da sala, frases e adjectivos como se estivesse em plena campanha eleitoral”, notou Elisa Pinheiro, citado pela Inforpress.

Perante a “gravidade da situação”, a líder do PAICV no Porto Novo disse ter já apresentado “uma participação” à ministra da Educação, Maritza Rossabal, contra o professor, prometendo ainda recorrer a “outras instâncias” para “repor a normalidade da função docente” nesta escola.

Elisa Pinheiro acusa ainda a direcção da escola técnica João Varela, que exerce algum controlo sobre as provas, de cumplicidade em relação ao “comportamento reprovável” do professor, refere a fonte que vimos citando.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project