CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto-novenses classificam de “boa notícia” anúncio do Governo sobre retoma da indústria de pozolanas 03 Abril 2022

Os porto-novenses receberam com agrado a “boa notícia” avançada pelo Governo de que está a finalizar o processo com vista à reactivação da fábrica de cimento pozolânico no município do Porto Novo, em Santo Antão.

Porto-novenses classificam de “boa notícia” anúncio do Governo sobre retoma da indústria de pozolanas

Abordados pela Inforpress, alguns munícipes consideram que se trata de “uma boa notícia”, mas lembram que nos últimos anos o Governo tem estado a prometer relançar a cimenteira “sem quaisquer resultados práticos até agora”.

“Não deixa de ser uma boa notícia. O Governo já prometeu tantas vezes relançar a indústria das pozolanas e esperamos que, desta vez, a fábrica seja reaberta para dar empregos às pessoas”, avançou o munícipe João da Luz.

Lourenço Silva, por seu lado, mostrou-se agradado com a notícia avançada em finais de Março pelo vice-primeiro-ministro, durante uma visita a Santo Antão, de que o Governo está na posse de duas propostas de “grandes empresas internacionais” interessadas na retoma da produção do cimento pozolânico no Porto Novo.

“A fábrica precisa ser reaberta para dinamizar a economia e criar empregos no concelho do Porto Novo. Espero que seja desta vez”, disse José Chantre.

O Governo está a finalizar o processo com vista à reactivação da fábrica de cimento pozolânico em Santo Antão, que está encerrada desde 2013, assegurou Olavo Correia, que explicou que quer a cimenteira, quer os terrenos, onde estão localizadas as jazidas, já são propriedade do Estado de Cabo Verde, graças a um acordo conseguido com o antigo promotor do projecto.

O vice-primeiro-ministro deu conta de duas propostas de “grandes empresas internacionais” interessadas na retoma da produção do cimento pozolânico em Santo Antão e avançou que “o processo está praticamente a finalizar” e que “nas próximas semanas” o Governo tomará uma decisão e estará “em condições de escolher a empresa” que assumirá a cimenteira.

A Inforpress sabe que o grupo Mauritanienne de Construction e d’Equipement (MCE) já formalizou o interesse em investir nesta indústria.

Uma equipa de empresários ligada ao grupo MCE esteve recentemente no Porto Novo, onde, além da deslocação às instalações da fábrica, encontrou-se ainda com a câmara municipal, à qual manifestou interesse em investir nesta indústria.

O antigo promotor da cimenteira, instalada em 2005, num investimento que rondou os 500 mil contos, possuía com o Estado de Cabo Verde um contrato de concessão da exploração das pozolanas, por um período de 25 anos.

As jazidas de pozolanas concentram-se, sobretudo, nas proximidades da cidade do Porto Novo (Brejo, Fundão, Ribeira Fria e Gamboesa), cujas reservas estimam-se em dez milhões de toneladas.
A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project