LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Portugal: Morreu filha de Tomé Feteira cuja herança milionária terá suscitado homicídio de Rosalina entre vários crimes cometidos por Lima Duarte, ex-líder PSD 17 Outubro 2022

A portuguesa Olímpia Feteira morreu na sexta-feira aos 80 anos vítima de doença prolongada. Filha e herdeira única, entrou nos noticiários por causa da disputa da herança com a secretária e companheira do pai multimilionário falecido em 2000. No próximo 23-11 deveria ser testemunha no julgamento do homicídio de Rosalina cujo arguido é o advogado e político Lima Duarte, ex-líder do PSD.

Portugal: Morreu filha de Tomé Feteira  cuja herança milionária terá suscitado homicídio de Rosalina entre vários crimes cometidos por Lima Duarte, ex-líder PSD

Duarte Lima foi detido em abril de 2019 para cumprir pena de seis anos por burla, no caso relacionado com a compra de terrenos no concelho de Oeiras, distrito de Lisboa, para a construção do Instituto Português de Oncologia com recurso a um empréstimo do BPN.

Mas desde os anos de 1990 que havia suspeitas sobre a origem da fortuna do deputado. Eleito deputado por Lisboa, de 1999 a 2002, e por Bragança de 1983 a 1995 e de 2002 a 2009, Duarte Lima chefiou o grupo parlamentar do PSD de 1991 a 1994, durante a segunda maioria absoluta de Aníbal Cavaco Silva.

Em 9 de dezembro de 1994, o título “Casa Cheia” do (hoje extinto) jornal O Independente custou a Duarte Lima o cargo parlamentar.

No artigo era descrito o seu vasto e luxuoso património imobiliário, que incluía um andar de 600 m2 num condomínio de luxo no centro de Lisboa comprado a um "empreiteiro amigo" por 230 mil contos (cerca de 1,1 milhão de euros) e declarado por apenas 45 mil contos (cerca de 224,4 mil euros ao câmbio atual), em Sintra a herdade de três hectares avaliada em 140 mil contos (cerca de 700 mil euros), mas que estava em nome de uma sobrinha com posses modestas, Alda Lima de Deus.

O líder da bancada social-democrata tinha escolhido a sobrinha para ocultar o seu património numa altura em o PSD se opunha à divulgação dos rendimentos dos políticos.

’Higiene política’

Na sua edição de 26 de abril de 2019, o diário Observador analisava que levou mais de vinte anos para que a Justiça resolvesse o crime de burla e evasão fiscal, por entre adiamentos, recursos e manobras dilatórias diversas.

Entretanto, o mesmo diário aplaudia a decisão do partido liderado (então) por Rui Rio, que expulsava o condenado, já que "a ascensão económica e social de Duarte Lima" deve muito à «sua carreira política ao serviço do PSD. Lima só teve os negócios que teve como advogado devido à rede de contactos que ganhou como político nacional.

Como disse Luís Marques Mendes (...), a ação disciplinar do PSD é uma questão de ’higiene política’». A mesma edição recorda que Marques Mendes, enquanto líder do PSD, recusou na década passada apoiar Isaltino Morais e Valentim Loureiro nas respetivas recandidaturas autárquicas por serem arguidos em processos judicias relacionados com o exercício de funções públicas".

Fontes: CNN-TVI/Sapo/outras referidas. Relacionado: Portugal-Brasil: Ex-líder do PSD Duarte Lima será julgado em Lisboa pelo homicídio de Rosalina Ribeiro, 16.out.019; Portugal: Detido ex-líder parlamentar do PSD acusado de burla ao BPN e homicídio no Brasil, 27.abr.019.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project