LEITURA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Portugal: “O exílio sentimental de Marcus Blum” é um canto sobre a esperança de um novo mundo – autor 29 Agosto 2022

O autor da obra “O exílio sentimental de Marcus”, Tchalê Figueira, considerou este domingo, em Lisboa, que o livro é sobre a vida, a utopia e um canto sobre a esperança de um novo mundo.

Portugal: “O exílio sentimental de Marcus Blum” é um canto sobre a esperança de um novo mundo – autor

A consideração foi feita em declarações à Inforpress depois da apresentação da obra pela Rosa Porcelana Editora, na Feira do Livro de Lisboa, referindo que a mesma conta a história de um homem que vai para o exílio, onde tem uma “epifania”.

“É um livro sobre a vida, a utopia e um canto sobre a esperança de um novo mundo. Não sei se as pessoas pensam que sou ingénuo quando escrevo isso, mas é uma forma existencialista de ver o mundo e acreditar que talvez haja alguma esperança na humanidade”, explicou o autor.

Para Tchalê Figueira, o mundo sempre esteve em perigo, porque a “humanidade não é o melhor retrato, desde as génesis do ser humano até hoje”, mas acredita que há sempre esperança e uma dessas esperanças, é a cultura.

“O que é fundamental para a cultura se desenvolver mais em Cabo Verde é que ela seja despolitizada (…). Se os artistas conseguirem livrar- se disso seria um grande avanço”, frisou.

Tchalê Figueira nasceu em 1953 na cidade de Mindelo. Viveu e trabalhou em Basileia (Suíça), de 1974 a 1985, e estudou Artes na Kunstgewerbeschule.

Considerado um “pintor de projeção internacional”, como poeta e romancista publicou “Todos os naufrágios do mundo” de 1992, “Onde os sentimentos se encontram” de 1998, “O azul e a luz” de 2002, “Solitário” de 2005, “Ptolomeu e a sua viagem de Circum Navegação” de 2005 e “Contos de Basileia” de 2011.

“A viagem” de 2013, “A Índia que todos procuramos” de 2014, “Solitude blues”, “Uma pequena odisseia mindelense”, “moro nesta ilha há mais de cinquenta anos & outros contos” todos de 2016, “Curtos-7 contos” de 2017, “Idade poética” de 2018, “A viagem” (reimpressão revista alterada” de 2019 e “Txon vendido” de 2021 foram outros títulos publicados.

Segundo a mesma fonte, a 92ª edição da Feira do Livro de Lisboa conta na sua programação, de entre outras actividades, sessões de autógrafos, exposição de homenagem, conversas com autores, apresentação de obras, conversas e concertos.

A Ucrânia, país convidado na edição deste ano da Feira do Livro de Lisboa que decorre no Parque Eduardo VII, tem um pavilhão com mostra de obras de vários escritores daquele país e exibição de alguns filmes de realizadores ucranianos.

Esta edição que decorre de 25 de Agosto a 11 de Setembro conta com 340 pavilhões, distribuídos por 140 participantes que representam centenas de marcas editoriais, conclui a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project