LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Portugal: PJ investiga elite de Forças Armadas suspeita de tráfico durante missões da ONU na RCA 08 Novembro 2021

Membros da elite do Exército de Portugal estão a ser detidos, suspeitos de envolvimento num escândalo de tráfico de ouro e diamantes que abala a instituição militar. Esta manhã de 2ªfª, a PJ arrancou com buscas em dezenas de domicílios e escritórios de advogados ligados aos suspeitos, que inclui altas patentes do Exército Português em missões da ONU na República Centro-Africana.

Portugal: PJ investiga elite de Forças Armadas suspeita de tráfico durante missões da ONU na RCA

A reportagem da TVI dá conta que "centenas de inspetores da Polícia Judiciária" estão a "realizar mais de 100 buscas em todo o país por suspeitas de tráfico de pedras preciosas como diamantes e ouro que envolvem a elite do Exército".

Enquanto há mandados por cumprir de militares que ficarão detidos em Tomar e de ex-militares a encaminhar para a cadeia de Évora (onde esteve José Sócrates), há pelo menos 10 militares detidos na cadeia anexa à sede da PJ em Lisboa. O seu destino após serem ouvidos é o Estabelecimento Prisional Militar de Tomar, no centro de Portugal, a 170 km de Lisboa.

Os visados são suspeitos de terem, enquanto operacionais das missões portuguesas, ao abrigo da ONU, na RCA-República Centro Africana, montado um esquema de tráfico de diamantes, de ouro e droga daquele país para a Europa. O tráfico era feito com recurso a aviões militares cuja carga não é fiscalizada.

Os diamantes e ouro chegavam à Antuérpia e Bruxelas, onde os envolvidos tinham como contrapartida benefícios financeiros.

Há suspeitas ainda de branqueamento de capitais através de criptomoedas e associação criminosa. Duzentos inspetores da PJ coordenados por magistrados do Ministério Público realizaram as buscas em diversos pontos do território português.

Missão da ONU na República Centro Africana desde 2017

Em meados de setembro de 2017, Portugal assumiu o comando da missão de treino da União Europeia na RCA, constituída por 251 militares de 12 países.

O objetivo da maior missão lusa em África desde a Guera do Ultramar, era, segundo o CEMFA, contribuir para "a reforma do setor da defesa na República Centro-Africana e para a modernização, a eficácia e a responsabilização democrática das Forças Armadas centro-africanas".

Mancha? MNE pronuncia-se

O ministro dos Negócios Estrangeiros português pronuncia-se: "A missão portuguesa na RCA tem sido devidamente apreciada no, âmbito das misssões da ONU", disse Augusto dos Santos Silva no final da manhã desta segunda-feira.

Fontes: RDP/TVI. Fotos (captura de ecrãs): Vai em quatro anos a missão do exército português no território centro-africano. Augusto dos Santos Silva acredita que este escândalo de tráfico "não afetará a imagem internacional de Portugal".

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project