INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Portugal-Reincidência no crime: Condenada aos 12 anos por ajudar homicídio é suspeita de maltratar filho bebé "entre vida e morte" 30 Agosto 2022

Um bebé de quatro meses em situação clínica "bastante complexa e preocupante" no Hospital de São João no Porto foi vítima de maus-tratos em que é suspeita a mãe, de 18 anos. A mesma pessoa que em 2016 a justiça condenou por ter ajudado Sónia, a sua mãe, a ocultar o cadáver de Tiago de 14 anos. Esse homicídio foi punido com as penas de 25 anos para Sónia e de 20 anos para o cúmplice dela, de 19 anos e a menor foi institucionalizada.

Portugal-Reincidência no crime: Condenada aos 12 anos por ajudar homicídio é suspeita de maltratar filho bebé

Também o pai do bebé é suspeito de participar nos maus-tratos. Mas em entrevistas às televisões — TVI, SIC — o rapaz de 22 anos (foto) descarta suspeitas de maus-tratos.

"Sempre quis ter um filho e sempre quis dar-lhe tudo", diz o pai do bebé internado em estado grave desde o dia 4 deste mês no H. São João para onde foi transferido depois do H. de Vila Real.

A mãe do bebé e a avó, de 37 anos, estiveram envolvidas, em 2016, num crime que chocou Portugal pelos seus contornos: o homicídio de Tiago de 14-15 anos, seguido de profanação e ocultação do cadáver.

Agora seis anos depois, a filha de Sónia reincide no crime.

Enterrado no jardim, sob pimenteiros

O Tribunal de Vila Real condenou, em dezembro de 2016, Miguel Brito, de 19 anos, a 20 anos de prisão e Sónia Mendes, de 31 anos, a 25 anos de prisão pelo homicídio de Tiago de 14 anos, em Chaves. Também a filha de Sónila, de 12 anos, que ajudou a ocultar o cadáver, foi condenada a internamento numa instituição para delinquentes juvenis, segundo noticiou o JN.

Há duas versões para o crime. Uma diz que o adolescente Tiago era namorado da filha de Sónia e que os ciúmes da menina de 12 anos estão por trás do crime. Outra versão dá conta que o crime foi para ocultar o adultério de Sónia e Miguel.

Os antecedentes desse crime contam-se assim. Em 2011, Miguel de 14 anos passa a viver em casa da família Mendes em Chaves. Cinco anos depois Miguel traz Tiago, de 14 anos, fugido duma instituição juvenil.

Segundo a versão mais peersistente, Tiago descobre que a dona da casa trai o marido com Miguel e confronta-os. Acaba morto e enterrado num terreno contíguo à casa, com pimentos plantados por cima.

Fontes: JN/TVI/SIC.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project