LEITURA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Praia: Lançamento do livro «Crónicas Soviéticas» de Osvaldo Lopes da Silva 18 Janeiro 2022

A Rosa de Porcelana Editora vai lançar o livro «Crónicas Soviéticas», de Osvaldo Lopes da Silva, num ato que terá lugar no Palácio da Presidência da República, na cidade da Praia, no próximo 20 de Janeiro, Dia dos Heróis Nacionais. A iniciativa enquadra-se na programação da Semana da República.

Praia: Lançamento do livro «Crónicas Soviéticas» de Osvaldo Lopes da Silva

Segundo a referida editora, a apresentação da obra estará a cargo de Manuel Brito-Semedo. «Crónicas Soviéticas é o título que Osvaldo Lopes da Silva atribuiu a este ensaio histórico e memorialístico que agora ficará à disposição dos leitores, focando-se sobretudo (mas não exclusivamente) na década de 1960 em diante e nos três momentos que estigmatizam as ligações do autor com a (hoje) ex-URSS, cuja identificação e arrumação periodológica é indispensável para a compreensão da conveniência e mesmo da oportunidade da vinda a público, em boa hora, das Crónicas Soviéticas», lê-se na nota remetida a este jornal.

No Prefácio, o investigador Julião Soares Sousa afirma sobre esse livro que, através da sua leitura, ter-se-á a “oportunidade de revisitar um tempo histórico sem dúvida idiossincrático e em que o autor faz desfilar vários acontecimentos e várias personalidades que foram (mal ou bem e para o mal ou para o bem, dependendo das perspetivas analíticas de cada um) verdadeiros protagonistas. Múltiplos são os méritos da vinda a público das Crónicas Soviéticas, mas o mérito maior é, incontestavelmente, o de desbravar um caminho novo».

É que, segundo acrescenta a mesma fonte, são praticamente inexistentes memórias de quadros de movimentos de libertação que, tendo feito formação na URSS ou algures se predispuseram a relatar suas vivências. «Diríamos até que esta é, indiscutivelmente, uma das grandes omissões da literatura anticolonial dos espaços de colonização portuguesa em África. Por isso, não podia deixar de enfatizar a importância deste contributo de Osvaldo Lopes da Silva para a História Contemporânea», remata Julião Soares.

Conforme Rosa de Porcelana Editora, Osvaldo Lopes da Silva nasceu na ilha de São Nicolau (Cabo Verde), em 1936. Estudou a instrução primária na cidade da Praia e os estudos secundários no Mindelo. Cursava Engenharia Civil, em Portugal, quando, em 1961, integrou o PAIGC e fugiu para aderir ao movimento anticolonial, liderado por Amílcar Cabral.

Segundo a mesma fonte, completou o curso da Economia em Moscovo, tendo depois integrado a luta armada de libertação nacional, como comandante de artilharia. Com a proclamação da Independência de Cabo Verde em 1975, assumiu as pastas ministeriais da Economia e Finanças, até 1986, e de Transportes, Comércio e Turismo, até 1990. Foi-lhe outorgado a condecoração do Primeiro Grau da Ordem Amílcar Cabral. Em 2011, publicou o livro “Nos tempos da minha Infância”.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project