SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Movimento narcotráfico na Praia: Tribunal manda para cadeia mulher detida na posse de 2,5 kg de cocaína no Aeroporto Internacional Nelson Mandela 08 Mar�o 2022

Cabo Verde regista mais um caso de movimento de narcotráfico internacional que opera na rota América do Sul/Europa/Africa. É que o Tribunal da Comarca da Praia acaba de decretar prisão preventiva para uma mulher de 27 anos, de nacionalidade cabo-verdiana, detida pela Polícia Judiciária, no dia 05 de Março, em flagrante delito, no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, Praia. A suspeita viajava num voo proveniente do Brasil, via Lisboa, trazendo 2 mil e quinhentos gramas de cocaína, em elevado grau de pureza (ver fotos), dissimulados em quatro pacotes em volto de fita adesiva e escondidos em várias partes do seu corpo.

Movimento narcotráfico na Praia: Tribunal manda para cadeia mulher detida na posse de 2,5 kg de cocaína no Aeroporto Internacional Nelson Mandela

Em comunicado, a Polícia Judiciária confirma que deteve a referida mulher, através da Seção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes e Criminalidade Organizada – (SCITECO) – Brigada Aeroportuária, na sequência de diligências realizadas no aeroporto Internacional da Praia – Nelson Mandela.

A mesma fonte revela que a detenção aconteceu no dia 05 março, sábado, em flagrante delito, após o desembarque num voo da TAP, que fazia o percurso São Paulo-Brasil/Lisboa/Praia. Assegura que a mulher, de 27 anos de idade, de nacionalidade cabo-verdiana, é suspeita da prática de um crime de Tráfico Internacional de Drogas.

Conforme a Judiciária, a mesma foi encontrada na posse de 2.500g (dois mil e quinhentos gramas) de Cocaína em peso bruto.

A droga encontrava-se dissimulada em dois (2) pacotes em volto de fita adesiva em forma de sutiã, e ainda dois (2) pacotes em volto de fita adesiva, com forma retangular que se encontravam fixadas e coladas nas pernas da suspeita.

Segundo ainda a PJ, a detida foi apresentada nesta segunda-feira às autoridades judiciárias competentes, para efeito do primeiro interrogatório judicial de arguida detida e aplicação de medidas de coação pessoal, tendo-lhe sido aplicada prisão preventiva.

Nicolau Centeio

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project