SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Praia: Tripulante morto no cargueiro Eser com 10 toneladas de droga teve morte natural 30 Mar�o 2019

O tripulante encontrado morto no cargueiro Eser, apreendido a 31 de janeiro no porto da cidade da Praia com cerca de dez toneladas de droga, teve morte natural no seguimento de doença respiratória, informou, esta sexta-feira, a Política Judiciária (PJ) cabo-verdiana.

Praia: Tripulante morto  no cargueiro Eser  com 10 toneladas de droga teve morte natural

De acordo com a Judiciária, o resultado da autópsia realizada ao cadáver encontrado na embarcação de bandeira panamense, revelou que o homem "terá tido morte natural, sendo a causa da morte choque séptico de etiologia pulmonar, com edema pulmonar e complicada com sangramento digestivo alto".

O tripulante terá morrido a 22 de janeiro, "quando o navio se encontrava na travessia das águas marítimas cabo-verdianas, na sequência de fortes dores e vómitos com sangue a que o indivíduo se encontrava sujeito".

Segundo a PJ informa, “ o óbito ocorreu por volta das 21h10 do dia 22 de Janeiro, quando o navio se encontrava na travessia das águas marítimas cabo-verdiana, na sequência de fortes dores e vómitos com sangue a que o indivíduo se encontrava sujeito”

Ainda de acordo com informações apuradas por esta polícia, minutos antes do óbito e depois de vomitar sangue na sua camarata, o cidadão, já apresentava um quadro de doença respiratória, uma vez que tossia com frequência e sentia dificuldades em respirar.

Confirmado o óbito, a vítima foi colocada numa arca frigorífico que existia no navio, tendo sido comunicadas as autoridades cabo-verdianas, de imediato, atendendo que não poderiam fazer toda a viajem com o cadáver, o que terá ditado o aporte do navio no cais da Praia.

Das inspecções judiciárias levadas a cabo e das informações recolhidas junto dos tripulantes, apurou-se que a vítima, que exercia a função de Imediato no navio, não apresentava problemas com ninguém e do exame a camarata e a outros compartimentos do navio, não se verificou indícios de crime.

Removida para a casa mortuária, o cadáver, que se encontrava petrificada devido a baixa temperatura a que foi exposta para conservação e exame, foi submetido ao exame de hábito externo e autopsia, tendo-se concluído que a causa da morte foi devido a choque séptico de etiologia pulmonar com edema pulmonar e complicada com sangramento Digestivo alto, conclui a PJ.

Operação Eser e drogas apreendidas

É de recordar que, a Polícia Judiciária, munida de um mandado de busca e apreensão no navio cargueiro denominado ESER, com pavilhão panamense, procedeu, a 31 de Janeiro de 2019, no Porto da Praia, à apreensão de 260 fardos, com o peso bruto de 9.570 kg, contendo no seu interior um produto que, submetido a teste, reagiu positivamente para cocaína. As drogas - a maior apreensão feita em Cabo Verde e na África - formam, no entanto, queimadas no dia 3 de Fevereiro deste ano.

De acordo com a polícia científica cabo-verdiana, o cargueiro, oriundo da América do Sul, tinha como porto de destino Tanger, Marrocos. Conforme a Polícia Científica, todos os 11 cidadãos a bordo, todos da nacionalidade russa. Ouvidos durante o primeiro interrogatório, o Tribunal da Comarca da Praia decretou prisão preventiva para todos esses tripulantes - foram depois devolvidos com TIR à sociedade e Rússia.

Os artigos mais recentes

25 Apr. 2019
RADAR
Favelas para todos?

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project