POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Praia: Vereador Samilo Moreira acusa Francisco Carvalho de “adulterar e inventar” deliberações 06 Dezembro 2021

O vereador da Câmara Municipal da Praia, Samilo Moreira, eleito pela lista do PAICV, acusou hoje o Presidente da Câmara Municipal, Francisco Carvalho, de “usurpação de poderes, de adulterar e inventar deliberações”.

Praia: Vereador Samilo Moreira acusa Francisco Carvalho de “adulterar e inventar” deliberações

A acusação foi feita durante uma intervenção do vereador na sessão extraordinária especial da Assembleia Municipal convocada para se discutir o estado do município da Praia.

Samilo Moreira, que foi desprofissionalizado há mais de seis meses, disse que Francisco Carvalho iniciou o mandato querendo concentrar na sua pessoa todos os poderes para “dar corpo à sua atitude de eu quero, eu posso e eu mando”.

Conforme indicou, o edil começou a agir à margem da lei e quando questionado agiu com represálias retirando pastas e desprofisionalizando a maioria dos vereadores, inclusive do seu partido.

“O presidente da câmara municipal é uma pessoa que não pode ser questionado. Ele quer um vereador zumbi e eu nunca vou aceitar”, salientou adiantando de entre os motivos da discórdia está a adulteração de duas deliberações que foram aprovadas nas reuniões da autarquia logo no início do mandato.

“A primeira vez que questionei o senhor presidente foi por causa de uma deliberação em que aprovamos o nome da vereadora Dúnia para o conselho de administração da SEPAMP e o documento publicado no boletim oficial já veio com o nome do próprio presidente como presidente do conselho de administração”, apontou.

Outra deliberação, indicou, é a autorização ao presidente para celebração de um contrato para seis meses, e quando publicado no Boletim Oficial a duração já era de 12 meses.

“O presidente tem estado a adulterar as deliberações da câmara, está a inventar deliberações que não existem e temos provas que já partilhamos com várias instituições a solicitar um inquérito à gestão de Francisco Carvalho”, realçou.

Conforme indicou, na sexta-feira passada, Carvalho mandou publicar no Boletim Oficial a deliberação número 43, sendo que a maioria dos vereadores apenas conhecem três ou quatro deliberações aprovadas em reunião da câmara.

Samilo Moreira sublinhou que a Câmara Municipal da Praia é um órgão colegial eleito onde as responsabilidades são partilhadas, pelo que o presidente não pode decidir sozinho.

Neste sentido afirmou que a autarquia praiense está “refém” de Francisco Carvalho e seu assessor jurídico.

A intervenção de Samilo Moreira demorou mais de 30 minutos e a dada altura Francisco Carvalho abandonou a sala.

Entretanto, na sua intervenção a seguinte Francisco Carvalho sustentou que o presidente da câmara é um órgão executivo e singular e que enquanto tal tem competências específicas e actos em que pode sim decidir sozinho. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project