ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Preços mundiais de exportação do milho e do arroz apresentaram uma tendência mista em relação à semana passada 17 Agosto 2020

De acordo com um Relatório, recentemente divulgado pelo Secretariado Nacional para Segurança Alimentar e Nutricional (SNSAN), os preços mundiais de exportação do milho e do arroz apresentaram uma tendência mista em relação à semana passada, de antes desta segunda-feira. Enquanto que os preços mundiais de exportação de trigo e do açúcar mantiveram a tendência de baixa no mesmo período em análise.

Preços mundiais de exportação do milho e do arroz apresentaram uma tendência mista em relação à semana passada

Milho

Conforme a fonte referida, os preços mundiais de exportação de milho apresentaram uma tendência mista em relação à semana passada. Nos Estados Unidos, a diminuição da procura sustentou uma ligeira queda das cotações de exportação deste cereal. O total acumulado das vendas semanais de exportação da safra 2019/20 atingiu cerca de 43,8 Milhões de Toneladas, 14% abaixo do registado no período homólogo da safra anterior.

A mesma fonte revela que na Argentina, o ganho nos preços de exportação do milho foi justificado pela boa procura internacional e pelas incertezas sobre as condições de plantio de 2020/21. A colheita da safra 2019/20 se encontrava praticamente concluída. Já, no Brasil, as cotações de exportação deste cereal permaneceram firmes devido às questões logísticas nas proximidades e ao lento progresso da colheita, que se estimou estar 51% concluída no estado do Paraná. Foi reportado pela Conab um aumento da previsão de produção para a safrinha (segunda safra) de 2019/20, para um recorde de 102 Milhões de Toneladas.

Arroz

Em relação ao arroz, o SNSAN apresenta que os preços mundiais de exportação deste cereal apresentaram uma tendência mista em relação à semana anterior. Na Tailândia, os valores se firmaram, uma vez que os exportadores reagiram às cotações vietnamitas em alta e aos atrasos na entressafra, reduzindo a oferta. No Vietname, um recente ressurgimento local de infeções por Covid-19 sustentou o sentimento do mercado interno. As ofertas reduzidas de arroz, à medida que a colheita da safra de Verão/Outono chega ao fim, acrescentou suporte aos preços. Nos Estados Unidos, as cotações de exportação do Arroz US Nº 2,4% registaram uma tendência de baixa face à semana anterior, cerca de 6,3%.

Trigo

O estudo realizado pelo Secretariado Nacional para Segurança Alimentar e Nutricional (SNSAN) revela que os preços mundiais de exportação de trigo mantiveram a tendência de baixa da semana passada, influenciados por resultados acima do esperado da safra na região do Mar Negro e partes da Europa.

Nos Estados Unidos, os preços mundiais de exportação do trigo apresentaram uma queda, apesar do registo de bom progresso das vendas de exportação. Foi relatado que o plantio da safra 2020/21 estava na sua fase final, cerca de 90% concluído.

Revela oa mesmo estudo que, ao nível da União Europeia, a queda na procura sustentou a tendência de baixa das cotações de exportação de trigo, com os embarques a permanecer bem abaixo do forte ritmo da temporada passada, inferior em cerca de 61% em relação à safra anterior. Na Argentina, a boa perspetiva de produção ditou a queda dos preços de exportação de trigo, apesar de preocupações com a seca.

Açúcar

Já em relação ao açúcar, sabe-se que os preços mundiais de sua exportação registaram uma tendência de baixa face à semana passada. No Brasil, as perspetivas de aumento da produção sustentaram a baixa dos preços de exportação deste mesmo produto.

A StoneX, anteriormente conhecido como INTL FCStone, estimou que a produção de açúcar no centro-sul venha a atingir cerca de 37,3MT, uma alta de 39,5%, em relação à safra 2019/20. Na Índia, a India Ratings (In-Ra) espera que a produção de açúcar no país aumente para 30,5MT em 2020/21. A produção de açúcar na atual safra 2019/20, que termina em setembro, foi prevista em 27,2MT. A procura deverá cair 5% nesta temporada devido aos impactos da pandemia Covid-19.

Frete marítimo

Ainda, de acordo com o mesmo estudo, as taxas de frete para o transporte de graneis sólidos mantiveram a tendência de alta da semana anterior. O mercado do setor dos navios Panamax liderou os ganhos semanais, impulsionados pela procura flutuante por entregas do Golfo dos Estados Unidos e da América do Sul para a China, juntamente com a oferta de tonelagem restrita no Atlântico Norte. Para o carregamento nos navios Supramax, a subida nas taxas de frete foi sustentada por fortes atividades na região do Mar Negro, principalmente nas rotas para a Ásia. “Em contraste, as taxas de frete para os navios Capesize ficaram abaixo do registo da semana anterior, em grande parte devido à redução dos interesses de compra no Brasil”.

Recorde-se que a INFO Semanal é uma publicação editada pelo Secretariado Nacional para Segurança Alimentar e Nutricional (SNSAN), que divulga o comportamento semanal do Mercado Internacional dos Cereais, Açúcar e Frete marítimo, bem como o indicativo de preços dos principais mercados.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project