Portugais

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Preços mundiais de exportação do milho mantiveram a tendência de alta na semana anterior 28 Agosto 2020

Segundo o último Relatório divulgado pelo Secretariado Alimentar e Nutricional (SNSAN), os preços mundiais de exportação do milho mantiveram a tendência de alta na semana anterior. Enquanto que para o trigo, as taxas de frete para o transporte de graneis sólidos apresentaram uma tendência de baixa em relação à semana anterior, os preços mundiais da exportação do arroz apresentaram uma tendência mista, e os da exportação do açúcar registaram uma tendência de baixa face ao período em análise.

 Preços mundiais de exportação do milho mantiveram a tendência de alta na semana anterior

Milho

Um estudo realizado recentemente pelo SNSAN aponta que os preços mundiais de exportação do milho mantiveram a tendência de alta na semana anterior.
Nos Estados Unidos, as vendas sólidas da nova safra continuaram a enfatizar as perspetivas de recuperação nas exportações, com o total acumulado alcançando 12,2 Milhões de Toneladas. Na Argentina, o plantio da safra 2020/21 começou num contexto de clima seco, com previsão de chuvas esparsas.

A mesma fonte revela que o ministério da agricultura fixou provisoriamente a área da safra 2020/21 (incluindo para uso no campo) em 9,5 milhões de hectares, inalterada em relação ao ano anterior. Já, no Brasil, a colheita da safrinha 2019/20 (segunda safra) se encontrava 86% concluída, em linha com a média, e o plantio da primeira safra 2020/21 (safra completa) no sul progrediu num clima frio e húmido. No Relatório de Perspetivas, a Conab colocou o resultado de 2020/21 num recorde de 112,9 Milhões de Toneladas e com a área aumentada em 7%.

Trigo

As taxas de frete para o transporte de graneis sólidos apresentaram uma tendência de baixa em relação à semana anterior. Os ganhos para os navios Handysize foram sustentados pela boa procura em ambas as Bacias, principalmente para despachos para fora da Europa. As taxas de frete para os navios Supramax se firmaram visto que a forte procura no Pacífico compensou o nível moderado no Golfo dos Estados Unidos e na América do Sul.

Para o carregamento nos navios Capesize, a fraca procura e a oferta excessiva de tonelagem no Atlântico pressionaram as taxas para uma queda. Os valores para o setor dos navios Panamax sucumbiram à pressão de níveis limitados de interesses de compras no Atlântico e no Pacífico. Os preços mundiais de exportação de trigo mantiveram a tendência de alta da semana passada, justificada pelas incertezas sobre as perspetivas de produção na Argentina, mas as expetativas de safras crescentes na Rússia e na Austrália amorteceram os movimentos ascendentes dos preços.

Nos Estados Unidos, foi relatado que o total acumulado das exportações alcançaram 11,1 Milhões de Toneladas, um aumento de 7% face à safra anterior. Vale ressaltar que as vendas semanais incluíram cerca de 90 mil toneladas do Trigo HRW para o Brasil. Na União Europeia, a Coceral reduziu a sua estimativa de produção de trigo comum no bloco (incluindo o Reino Unido) em 0,6 Milhões de Toneladas em relação ao anterior, para 129,1 Milhões de Toneladas. Na Argentina, foram relatados danos causados por geadas recentes, mas algum otimismo foi apontado quanto à chegada de um clima mais húmido e favorável à cultura.

Arroz

Quanto ao arroz, o Relatório do SNSAN aponta que os preços mundiais de sua exportação apresentaram uma tendência mista em relação à semana anterior. Na Tailândia, apesar do fraco interesse de compra, as cotações de exportação de arroz registaram um aumento devido à redução da oferta associada a fortes chuvas persistentes que atrasaram a colheita da safra fora de temporada. No Vietname, os preços de exportação de Arroz Viet 5% Broken apresentaram a mesma cotação da semana passada, 485 FOB/ TON. Nos Estados Unidos, as cotações de exportação caíram com a pressão das novas safras. Foi relatado que a colheita da safra 2020/21 se encontrava 17% concluída.

Açúcar

O mesmo documento indica ainda que os preços mundiais de exportação do açúcar registaram uma tendência de baixa face à semana passada. Na Índia, prevê-se que a produção de açúcar atinja cerca de 30,5 Milhões de Toneladas em 2020/2021, ante a estimativa de 27,2 Milhões de Toneladas para 2019/20. “O consumo de açúcar da Índia deve permanecer estável na temporada 2019/20, uma vez que as exportações devem compensar a queda no consumo doméstico devido à pandemia de Covid-19, de acordo com a CRISIL Research”. Já no Brasil, a Conab atualizou a sua previsão para a produção de açúcar no país em 2020/21 para 39,3 Milhões de Toneladas, um aumento de 32% em relação à safra anterior.

Frete marítimo

Segundo ainda a fonte deste jornal, as taxas de frete para o transporte de graneis sólidos apresentaram uma tendência de baixa em relação à semana anterior. Os ganhos para os navios Handysize foram sustentados pela boa procura em ambas as Bacias, principalmente para despachos para fora da Europa.

De acordo com o SNSAN, as taxas de frete para os navios Supramax se firmaram, visto que a forte procura no Pacífico compensou o nível moderado no Golfo dos Estados Unidos e na América do Sul. Para o carregamento nos navios Capesize, a fraca procura e a oferta excessiva de tonelagem no Atlântico pressionaram as taxas para uma queda. “Os valores para o setor dos navios Panamax sucumbiram à pressão de níveis limitados de interesses de compras no Atlântico e no Pacífico”, conclui o Relatório que vimos citando.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project