ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Presidente da BVC prevê emissão da primeira obrigação azul e cotação de mais duas empresas na bolsa em 2023 06 Janeiro 2023

O presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC) prevê para o ano de 2023 a emissão da primeira obrigação azul, a cotação de pelo menos mais duas empresas na bolsa e ter a primeira edição do Bolsa Awards.

Presidente da BVC prevê emissão da primeira obrigação azul e cotação de mais duas empresas na bolsa em 2023

Miguel Monteiro, que discursava na sessão de apresentação do resultado da oferta particular de subscrição de obrigações seniores do International Investiment Bank (IIB), afirmou que o ano de 2022 foi, sem dúvidas, um ano excepcional para a BVC, com grandes marcos, reflectidos nos números alcançados nas emissões de títulos e na capitalização bolsista.

Conforme indicou, com a última emissão do IIB a Bolsa de Valores atingiu o objectivo preconizado de fazer pelo menos 10 emissões diversas em 2022, tendo realizado oito emissões corporate e duas municipais, ultrapassando em mais de duas vezes a média dos últimos anos que era de quatro emissões/ano.

“No ano findo, a capitalização bolsista global atingiu pela primeira vez o patamar dos 100 mil milhões de CVE (906,9 milhões de euros). Fechamos o ano de 2022 com o valor recorde da capitalização bolsista global que atingiu o valor de 106.844.298.991 CVE (968,9 milhões de euros)”, apontou.

Segundo Miguel Monteiro, o ano de 2022 ficou igualmente marcado pelo lançamento oficial da Plataforma Blu-X, uma ferramenta virada para a promoção de financiamento do desenvolvimento sustentável de Cabo Verde, em particular da economia azul, através da emissão e negociação de títulos sustentáveis, quais sejam blue bonds, social bonds, green bonds, sustainability bonds, entre outros.

“É por tudo isto que pensamos estar no caminho de sucesso, rumo ao desenvolvimento sustentável do mercado de capitais em Cabo Verde. Iniciamos este ano de 2023 com um sentimento profundo de que cada vez mais estamos a servir a economia real, proporcionando aos investidores, empresas, municípios e outros agentes económicos, alternativas de investimento e financiamento”, disse.

Em 2023, ano em que a BVC completa 25 anos de existência, prevê o aumento o número de emissões face a 2022 em que foram emitidas operações de emissão de obrigações, ter a primeira emissão de uma obrigação azul, ter pelo menos mais duas empresas cotadas e primeira edição do Bolsa Awards, promovendo e incentivando os vários ‘stakeholders’ para fazer cada vez mais e melhor.

De entre outros objectivos, Miguel Monteiro falou da promoção de instrumentos financeiros para a Diáspora cabo-verdiana, tal como as Diáspora Bonds e participação na Ocean Race/Ocean Summit, enquanto ‘presenting partners’, maior evento desportivo que acontecerá em Cabo Verde e que vai contar com a presença do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Criada em 1998, a BVC é a entidade gestora do mercado de valores mobiliários e dos sistemas centralizados e de liquidação.

Actualmente conta com quatro empresas cotadas: Caixa Económica de Cabo Verde (CECV), Banco Comercial do Atlântico (BCA), ENACOL e Sociedade Cabo-verdiana de Tabacos (SCT).

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project