POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Presidente da República considera morte de Corsino Tolentino “grande perda para Cabo Verde” 21 Dezembro 2021

O Presidente da República, José Maria Neves, considerou hoje que a morte do diplomata e ex-governante Corsino Tolentino é “uma grande perda” para Cabo Verde.

Presidente da República considera morte de Corsino Tolentino “grande perda para Cabo Verde”

“Trata-se de uma enorme perda para Cabo Verde. Corsino Tolentino foi um combatente destemido pela liberdade e sempre foi um defensor acérrimo da dignidade das cabo-verdianas e dos cabo-verdianos”, realçou o Chefe de Estado numa primeira reacção.

José Maria Neves lembrou que, enquanto diplomata, Corsino Tolentino deu um contributo “muito grande” para o reforço das relações de Cabo Verde com o mundo, particularmente, com Portugal e outros países da União Europeia onde representou Cabo Verde.

Realçou ainda que também enquanto governante na área da Educação deu um contributo “muito forte” para o reforço do sistema educativo cabo-verdiano e para a reforma da educação em Cabo Verde.

“Com ele foi aprovada a primeira lei de bases do sistema educativo cabo-verdiano que lançou os alicerces para o desenvolvimento do sistema educativo cabo-verdiano”, recordou o Presidente da República.

Por outro lado, sublinhou que Corsino Tolentino foi um homem que desempenhou com “muita assertividade” a sua cidadania e deu um grande contributo para a elevação do debate político em Cabo Verde.

“Tenho insistido que nas nossas ilhas o debate tem sido raso, um debate fulanizado, um debate pouco fundamentado, e Corsino Tolentino, enquanto “opinion maker”, enquanto homem que participou em vários debates, em várias discussões públicas deu um enorme contributo para a elevação do debate político em Cabo Verde”, sustentou.

José Maria Neves aproveitou para apresentar as suas condolências à família enlutada.

O antigo ministro da Educação Corsino Tolentino morreu hoje de manhã, na Cidade da Praia, vítima de doença prolongada, soube a Inforpress junto de uma fonte familiar.

Segundo a mesma fonte, há uma “forte probabilidade” de o corpo de Corsino Tolentino ser sepultado na sua ilha natal, Santo Antão, mais concretamente no município da Ribeira Grande onde nasceu.

André Corsino Tolentino era natural de Santo Antão, Doutor pela Universidade de Lisboa, Mestre pela Universidade de Minnesota, embaixador jubilado, Professor Universitário, sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa e com várias obras publicadas.

Desempenhou as funções de ministro da Educação, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e embaixador de Cabo Verde em vários países, nomeadamente em Portugal.

Foi consultor do Banco Mundial e promotor da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) e do Instituto da África Ocidental (IAO).

Foi em 2016 que Corsino Tolentino, combatente da Liberdade da Pátria, diplomata, intelectual e figura de proa em Cabo Verde, foi diagnosticado com a doença de Parkinson. Contudo, diagnósticos posteriores viriam a revelar que se tratava, especificamente, de Paralisia Supranuclear Progressiva (PSP).

O seu último livro intitulado “A vitória é hoje. A minha relação com a Paralisia Supranuclear Progressiva” foi lançada no dia 26 de Novembro, na Cidade da Praia, onde viveu durante muitos anos, em que relata a sua vivência diária com a doença. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project