ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Presidente da República defende transferência de mais poderes e recursos às comunidades 14 Maio 2022

O Presidente da República, José Maria Neves, defendeu hoje, em Porto Mosquito, localidade de Ribeira Grande de Santiago, que é preciso empoderar as comunidades, “com a transferência de mais poderes e recursos”, de modo a se “auto-sustentarem”.

Presidente da República defende transferência de mais poderes e recursos às comunidades

José Maria Neves, que falava à imprensa, após presidir ao acto de comemorações do primeiro ano da criação do Parque Natural da Baía do Inferno e do Monte Angra, indicou que para se conseguir a sustentabilidade e comunidades sustentáveis, “há que necessariamente empoderar as localidades e as ONG”.

“Lá onde há ONG e associações e desenvolvimento comunitário há uma história de superação e de desenvolvimento”, notou José Maria Neves, defendendo que é preciso mobilizar parcerias para colocar mais recursos nas mãos dos cidadãos e das suas associações para acelerar o ritmo de crescimento das comunidades, das ilhas e do país.

Relativamente ao trabalho desenvolvido pela Organização Não-Governamental (ONG) Lantuna na gestão do Parque Natural da Baía do Inferno e do Monte Angra, José Maria Neves observou que está a promover uma maior autoestima nas respectivas comunidades.

“Há muito mais fé nas potencialidades dessas regiões e há sobretudo uma outra confiança e esperança num futuro melhor, porque as pessoas estão a envolver-se, a superar as dificuldades e a criar nova dinâmica de desenvolvimento”, precisou José Maria Neves, considerando que a Associação Lantuna tem feito, “a todos os títulos”, um trabalho “louvável”.

Para se engajar nesse processo, o Presidente da República prometeu trabalhar, junto com o Governo, com as autarquias locais, como os organismos financiadores e outras ONG, no sentido de trabalhar no empoderamento das comunidades e no desenvolvimento sustentável.

“As organizações ambientais têm uma enorme responsabilidade no desenvolvimento sustentável, inclusivo e ambiental, das nossas ilhas”, explicou o Chefe do Estado.

O Parque Natural da Baía do Inferno, que integra a Rede Nacional das Áreas Protegidas, é a primeira área marinha protegida mista (terrestre e marinha) da ilha de Santiago.

O decreto-regulamentar de 09 de Abril de 2021, aprova a criação do Parque Natural da Baía do Inferno e do Monte Angra (PNBIMA), na ilha de Santiago, conhecido por ter falésias de mais de 500 metros, passando a integrar a Rede Nacional das Áreas Protegidas.

Conhecido pelas zonas de difícil acesso, bem como fauna e flora únicas, o PNBIMA é criado e delimitado com uma área total de 21.096 hectares, sendo 3.626 hectares a parte terrestre e 17.470 hectares a parte marinha, situada a sul da aldeia piscatória de Porto Rincão, concelho de Santa Catarina, e a noroeste da aldeia piscatória de Porto Mosquito, concelho da Ribeira Grande de Santiago. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project