POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Presidente da UCID acusa Ulisses Correia e Silva de “incitar a desordem” em relação à crise na câmara de São Vicente 19 Novembro 2022

O presidente da União Cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID) acusou, hoje, o líder do Movimento para a Democracia (MpD) de “incitar desordem na câmara de São Vicente”, afirmando que “pela posição que ocupa deveria ter mais responsabilidade”.

Presidente da UCID acusa Ulisses Correia e Silva de “incitar a desordem” em relação à crise na câmara de São Vicente

João Santos Luís teceu estas considerações instado pela Inforpress a reagir sobre as declarações do presidente do MpD, Ulisses Correia e Silva, na abertura do ano político em São Vicente, que disse que a ilha “não é nenhum far-west” e que o que está a acontecer é uma tentativa de derrubar a câmara, quando deveria ocorrer um movimento contrário, “numa situação de crise”.

Segundo João Santos Luís, que falou à saída de um encontro com o Presidente da República que teve como pano de fundo a situação na câmara de São Vicente, o líder do MpD não pode nem falar nesta matéria porque não tem tido a flexibilidade que deveria ter, como presidente do maior partido, neste momento, no país.

Não poderia estar a fazer estes comentários, lamentamos porque de facto ele, no encontro no mês de Abril, na Praia prometeu vir a São Vicente reunir com todos os actores políticos, MpD, a UCID e o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para ultrapassarmos rapidamente esta situação e ele nunca fez isso porque não tem interesse”, reagiu.

Para João Luís, com responsabilidade Ulisses Correia e Silva tem no País (primeiro-ministro) e na câmara ele deveria ter uma outra postura, mais dialogante e mais séria neste processo.

Não há ninguém que queira derrubar a câmara de São Vicente. São as atitudes do presidente Augusto Neves é que levaram à posição dos vereadores, pelo que, pedimos mais responsabilidades por parte do presidente do MpD quando faz estes comentários”, declarou João Santos Luís.

Para o presidente da UCID “há uma dissintonia entre o Ministério da Coesão Territorial, que pediu que a situação seja resolvida por via da legalidade, e o presidente do MpD, que incita uma desordem quando diz que há pessoas intencionadas para derrubar a câmara de São Vicente”. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project