SERÁ NOTÍCIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Primeiro-Ministro exorta municípios a engajarem-se na questão da acessibilidade e inclusão 18 Maio 2019

O Primeiro-Ministro de Cabo Verde, José Ulisses Correia e Silva, pediu às Câmaras Municipais do país a participarem nas políticas e estratégias de acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência esta quarta-feira, 15, na cidade da Praia, no âmbito da realização de e um "Atelier de Sensibilização dos Municípios sobre a problemática da Acessibilidade e da Inclusão”.

Primeiro-Ministro exorta municípios a engajarem-se na questão da acessibilidade e inclusão

O chefe do Governo presidiu a abertura do atelier a convite da ONG “Humanité & Inclusion”, cujo objetivo principal é o de contribuir para a redução de novas infeções por VIH de pessoas com deficiência, apoiando a promoção dos direitos humanos, bem como atacar as barreiras legais e melhorar o seu acesso a serviços de prevenção, assistência e apoio por meio da advocacia regional.

Devido à pertinência do tema, o Primeiro-ministro considera essencial a participação e o engajamento dos municípios nesse processo. “Precisamos de uma sessão de trabalho com todos os Presidentes das Câmaras Municipais, com o objetivo de discutir e definir um plano de ação relativamente a esta matéria. Todos devem estar alinhados para assumir este compromisso”, apelou.

De acordo com o governante, o nível de prevalência do VIH em pessoas com deficiência precisa de ação de todos. "A taxa nacional de 2,3% não é um número negligenciável. Por isso, é importante uma atenção muito mais forte para a problemática do VIH SIDA".

Para Ulisses Correia, o Governo tem tomado um conjunto de medidas para que a inclusão seja uma realidade, tanto na educação como na Formação Profissional, e noutros aspetos relevantes.

"Eliminámos o pagamento de propinas às pessoas portadoras de deficiência, do pré-escolar ao ensino universitário, e na Formação Profissional, estamos a formar monitoras que trabalham com crianças com deficiência, a desenvolver o ensino de aulas de alfabetização em braille; a reforçar o apoio no setor da saúde para aquisição de equipamentos e realização de exames complementares de diagnósticos. Reforçamos a subsidiação de ONG`s que trabalham com pessoas portadoras de deficiências, e regulamentamos a lei que define as bases gerais do regime jurídico da prevenção, habilitação, reabilitação e participação da pessoa com deficiência”, sustentou o chefe do Executivo.

Neste âmbito, o Primeiro-ministro mostra que é "imprescindível" a criação de condições para que as políticas sejam implementadas, nomeadamente barreiras arquitetónicas, de atendimento, espaços públicos, nas escolas, nos transportes públicos, espaços desportivos, serviços de saúde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project