BREVES NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Primeiro-ministro inaugura Centro Cultural Cabo Verde em Lisboa 09 Julho 2019

O Primeiro-ministro cabo-verdiano, José Ulisses Correia e Silva, presidiu este sábado, 06, o ato de inauguração do Centro Cultural Cabo Verde na Capital portuguesa. Este é o primeiro Centro Cultural de um país africano em Europa, o que marcou o país numa posição pioneira neste sentido.

Primeiro-ministro  inaugura  Centro Cultural Cabo Verde em Lisboa

O ato de inauguração, que foi presidido pelo Primeiro-ministro de Cabo Verde, contou com a presença da grande comunidade cabo-verdiana em Lisboa, o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, a Ministra da Cultura de Portugal, Graça Fonseca, o Embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, e o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e o Presidente da Junta de Freguesia de Santo António, Vasco Morgado.

“Não poderíamos ter um Centro Cultural Cabo Verde em Europa, em outro sítio, que não fosse em Portugal e em Lisboa. A serenata com que iniciamos a inauguração mostra a grande fusão cultural que existe entre os dois países, refletida nas interpretações que ouvimos da morna e do fado. Foi extraordinário, estamos orgulhosos”, manifestou o chefe do executivo cabo-verdiano.

A serenata composta por músicos portugueses e cabo-verdianos como Ana Firmino, Maria Alice, Titina, Nancy Vieira e Sara Tavares e com participação do “Coro Sinfónico Lisboa Cantat”, entre outros, saiu do largo da Assembleia da República, e durante uma hora, percorreu as ruas até chegar à Rua de São Bento, arrastando uma multidão. Eram centenas de pessoas, entre cabo-verdianos, portugueses e outros que iam se juntando à serenata.

Para Ulisses Correia e Silva, é “natural” ver essa interação cultural entre cidadãos dos dois países que têm laços de história, de cultura e de vivências. Em Lisboa, Cabo Verde está presente nas artes, na música, na pintura, dança, teatro e é aquela cidade que pulsa o multiculturalismo.

“A rua de São Bento, onde está localizado o Centro, carrega muito de Cabo Verde. Aliás, é uma marca por onde passou muitos artistas, desde o Bana, o Tito Paris, e várias gerações de cabo-verdianos”, sublinha , agradecendo à Câmara Municipal de Lisboa, ao Primeiro-ministro António Costa e todos os que se empenharam para se tornar realidade o Centro Cultural – “uma ponte para o mundo a partir da cidade de Lisboa”.

Missão do Centro

Refira-se que o Centro Cultural Cabo Verde tem como missão a promoção, divulgação, salvaguarda e dinamização do património cultural nacional, ao mesmo tempo que incentiva a criatividade, a modernidade, a cidadania pela cultura, o desenvolvimento intelectual e espiritual, promove a integração da comunidade cabo-verdiana em Portugal, assim como é importante na divulgação e resgate da história nacional, na investigação e na divulgação da cultura nacional produzida na Diáspora e da sua importância no processo identitário nacional.

É, igualmente, missão do Centro, proteger e reforçar o sentimento de unidade da nação cabo-verdiana, através do estreitamento dos laços com a comunidade emigrada em Portugal e da sua plena integração, e da promoção da cooperação e convívio com as diversas comunidades residentes em Portugal, com especial destaque para as comunidades lusófonas.

CL

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project