NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Prisão preventiva para suspeito de homicídio agravado de jovem em Santa Cruz 06 Agosto 2020

Um homem de 23 anos ficou em prisão preventiva após ser detido por suspeitas de assassinar à facada uma jovem (Lavinha) de 17 anos em Santa Cruz, interior da ilha de Santiago, anunciou hoje o Ministério Público.

Prisão preventiva para suspeito de homicídio agravado de jovem em Santa Cruz

Em comunicado citado pela Lusa, a Procuradoria Geral da República (PGR) adiantou que a jovem de 17 anos (ver na foto) foi encontrada morta no interior de uma residência desabitada na localidade de Achada Bel Bel, em Santa Cruz, em 04 de agosto.

“O Ministério Público, com a coadjuvação da Polícia Judiciária, recolheu indícios suscetíveis de integrarem a prática de um crime de homicídio agravado, em autoria material, previsto e punido pelos artigos 122.º e 123.º, alíneas a) e c), ambos do Código Penal”, prosseguiu a mesma fonte.

Segundo a PGR, durante a investigação foi identificado o suspeito da prática do crime, um jovem de 23 anos de idade, que foi detido em flagrante delito horas depois.

O suspeito foi apresentado ao Tribunal, que lhe aplicou a medida de coação mais gravosa, a pressão preventiva, até ao julgamento.

Na mesma nota, o Ministério Público referiu que em 16 de julho a jovem apresentou queixa-crime na Esquadra da Polícia Nacional de Santa Cruz, que deu entrada na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz no dia seguinte, em que o suspeito vinha indiciado da prática de um crime de ameaça e de um crime de violação da intimidade de vida privada.

“Entretanto, no dia seguinte, 18 de julho de 2020, a vítima compareceu na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz, acompanhada da sua representante legal e do então denunciado, altura em que solicitou a desistência da queixa, argumentando que tudo não passava de um mal-entendido e que o problema já tinha sido resolvido”, esclareceu a PGR.

O Ministério Público, prossegue a Lusa, referiu ainda que a investigação se encontra em segredo de justiça, em mais um caso de violência baseada no género, caso que está a suscitar muitos comentários de indignação na sociedade cabo-verdiana.

Na sequência do assassínio da jovem, a presidente do Instituto Cabo-verdiano para Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), Rosana Almada, apelou à tomada de consciência por parte da sociedade civil e da comunidade educativa sobre a violência baseada no género.

A presidente considerou ser urgente falar sobre violência no namoro para se evitar o feminicídio.

“Antes, estávamos a ter este problema em adultos, agora voltou-se para os adolescentes. Isto é terrível para a sociedade”, lamentou Rosana Almeida, numa publicação na página oficial do ICIEG, acrescenta a Lusa.

Vitima e morte à facada

Segundo testemunhas citadas pela Inforpress, o suposto assassino chegou a criar perfil falso da vítima no Facebook, passando a impressão de que ela era sua namorada.

A vítima, conhecida por Lavínia(ver foto), que morava em Achada Laje, município de Santa Cruz, chegou a dar queixas na polícia, ação que o suposto autor do assassinato não terá gostado.

Entretanto, de acordo com as informações obtidas pela Inforpress, o indivíduo chamou Lavínia para conversarem e, na sequência disso, desferiu-lhe golpes fatais.

A delegada de Saúde de Santa Cruz, Evily Martins, explicou à Inforpress que quando a sua equipa chegou ao local do acontecimento encontrou a jovem já sem vida.

O suposto assassino foi detido por volta das 02:00 da madrugada do dia 4 de agosto.

A morte de Lavínia comoveu toda a comunidade e várias pessoas utilizaram as redes sociais para lamentarem este incidente.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project