ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Produtos alimentares da primeira necessidade garantido em Julho de 2020 31 Agosto 2020

De acordo com os últimos dados, recentemente divulgados pelo Observatório do Mercado, Cabo Verde registou, durante o mês de Julho, uma garantia de abastecimento, quanto aos produtos alimentares de primeira necessidade, designadamente no conjunto dos cereais e do açúcar.

Produtos alimentares da primeira necessidade garantido em Julho de 2020

Dados disponíveis pelo Secretariado Nacional para Segurança Alimentar e Nutricional (SNSAN) apontam que o abastecimento no conjunto dos cereais e açúcar em julho de 2020, foi garantido a nível nacional.

Milho

Em relação ao milho o estudo indica que a saída deste mês foi de 5,0% inferior à do mês anterior. Comparativamente à média dos últimos três meses (2.931 toneladas), corresponde também a uma redução de 25,9%.

Arroz

Ao arroz, deve-se verificar que a saída no mesmo período em análise foi de 1,2%, uma cifra inferior à registada no mês anterior. Comparativamente à média dos últimos três meses (1.741 toneladas), corresponde a um aumento de 5,4%.

Trigo

A mesma fonte revela que a saída do trigo desse mês foi de 55,1%, superior à do mês anterior. Comparativamente à média dos últimos 3 meses (1.372 tons), corresponde também a um aumento de 23,0%.

Farinha Trigo

Com relação à farinha de trigo, a saída no mesmo período foi de 82,4%, superior à saída registada no mês anterior. Comparativamente à média dos últimos três meses (629 toneladas), corresponde também a um aumento de 50,6%.

Açúcar

A Saída deste mês, em relação ao arroz foi de 30,9%, uma cifra superior à saída registada no mês anterior. Comparativamente à média dos últimos três meses (826 toneladas), corresponde a um aumento de 47,8%.

Disponibilidade em outros produtos básicos, por importação, em Julho de 2020

Feijão

Em Julho deste corrente ano, a importação do feijão foi 13,5%, superior à do mês anterior. Relativamente ao período homólogo de 2019, corresponde também a um aumento de 9,3%.

Leite

A importação de leite no mesmo período em análise foi de 4,5%, superior à do mês anterior. Relativamente ao período homólogo de 2019, corresponde a um aumento de 9,6%.

Óleo Alimentar

A importação do óleo alimentar em Julho de 2020 foi 0,8%, inferior à do mês anterior. Em relação ao igual período de 2019, registou-se um aumento de 3,4%.

Previsão até Setembro de 2020

Conforme a mesma fonte, estima-se que as disponibilidades de stocks previstas até Setembro de 2020 garantam os seguintes prazos de cobertura, com base no consumo médio mensal dos últimos 3 meses:

Milho

Quanto ao milho, o relatório do SNSAN aponta que o prazo de cobertura será de 4,5 meses (até meados de Dezembro de 2020). Para o arroz, o prazo de cobertura é de 9,5 meses (até meados de Maio de 2021).Já em relação ao trigo, o prazo de cobertura é de 6,3 meses (até início de Fevereiro do próximo ano)Em relação à farinha de trigo, o prazo de cobertura é de 1,7 (até terceira semana de Setembro de 2020, e para o Açúcar, o prazo de cobertura é de 5,0 meses (até finais de Dezembro de 2020).

Distribuição direta a partir de Praia e Mindelo para as demais ilhas

Milho

A distribuição do milho em Julho deste corrente ano foi de 599,3 toneladas e no mês homólogo de 2019 foi de 619,5 toneladas e para o arroz, a distribuição foi de 532,8 toneladas no mesmo período. No mês homólogo de 2019 foi de 764,0 toneladas.

Farinha de trigo

Em relação à farinha de trigo, a distribuição no período em análise foi de 611,0 toneladas e no mês homólogo de 2019 foi de 850,8 toneladas. Já, para o açúcar, a distribuição foi de 174,3 toneladas em Julho passado. No mês homólogo de 2019 foi de 182,4 toneladas.

Evolução Anual e Mensal dos preços internacionais

Ainda segundo o estudo realizado pelo SNSAN, os preços médios de exportação dos três principais cereais registaram as seguintes variações médias em Julho face ao médio de Junho: 3,7% para o trigo, 2,9% para o milho e -2,9% para o arroz. No trigo, o rendimento da colheita abaixo do desejável na Europa e na região do Mar Negro e preocupações quanto à área de cultivo e à procura mundial ditaram os preços. No milho, os preços mundiais de exportação foram ditados pelo aumento da procura e pela perspetiva de redução da oferta mundial. No arroz, as cotações mantiveram a tendência de baixa do mês Junho. Na Tailândia, os preços recuaram devido à fraca procura mundial. No Vietname, a queda nas cotações de exportação do arroz foi sustentada pelo aumento da oferta. No mercado do açúcar, o preço médio de Julho registou uma queda face ao mês anterior, associada em grande parte ao enfraquecimento da procura.

Cota de importação dos principais operadores em Julho

Conforme o Relatório, 10 operadores garantiram 96% da importação durante o mês de Julho, sendo que cinco responderam por 84% do total importado. Em relação ao milho, dois operadores garantiram a importação em Julho e ao arroz, seis operadores garantiram 98% da importação no mesmo período, sendo que três asseguraram 80%. Para a farinha de Trigo, quatro operadores garantiram a importação em Julho, dos quais dois responderam por 78%. Quanto ao açúcar, seis operadores asseguraram 96% da importação em Julho, sendo que três operadores responderam por 74%. Para o feijão, cinco garantiram 96% da importação no mesmo período, dos quais três responderam por 79%. Já para o leite em pó, oito operadores asseguraram 99% das importações em Julho, sendo que quatro responderam por 75%, para o óleo alimentar, quatro operadores garantiram 99% da importação em Julho, dos quais dois representaram 87%.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project