ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Professores e reivindicações pendentes: SINDEP ameaça com fortes lutas sindicais no arranque do novo ano lectivo 01 Maio 2018

Está aprovada, caso for necessária, a medida de promover todas formas de lutas sindicais no arranque do próximo ano lectivo, em defesa das reivindicações pendentes da classe docente cabo-verdiana. Está é uma das decisões saídas da Assembleia dos dirigentes e delegados sindicais de Santiago afectos ao Sindicato Nacional de Professores (SINDP), que aconteceu, neste fim-de-semana, na Capital.

Professores e reivindicações pendentes: SINDEP ameaça com fortes lutas sindicais no arranque do novo ano lectivo

O encontro decorreu no auditório do Liceu de Palmarejo, com forte presença e engajamento de professores da ilha maior de Cabo Verde. Num ambiente de fortes protestos, o vice-presidente e secretário permanente Jorge Cardoso, apelou a todos os dirigentes sindicais a cerrarem fileiras na luta contra todas as tentativas do actual Governo de Ulisses Correia e Silva, através do Ministério da Educação, de condicionar a actividade do SINDEP, intimidando e ameaçando os professores.

Numa resolução geral de sete pontos, a Assembleia sindical de Lambarejo aprovou, caso for necessária, a medida de promover todas formas de lutas sindicais – incluem protestos, manifestações de rua, greve, recusa de dar notas a alunos - no arranque do próximo ano lectivo. Tudo em defesa das várias reivindicações da classe docente cabo-verdiana, que continuam pendentes no Ministério da Educação (ME).

Conforme o documento, os presentes repudiaram o controlo entre o Governo e outras organizações sindicais do ramo para tentar isolar o SINDEP na luta que vem travando em defesa dos interesses dos professores, cuja maioria de docentes – mais de 4 mil – está filiada nele.

«Enaltecemos o actual Estatuto da Carreira do Pessoal Docente, pelo que exigimos o seu cumprimento pelo Governo da República. Exigimos ainda o respeito e a dignidade para a classe docente cabo-verdiana», lê-se na resolução final a que este jornal teve acesso.

Os dirigentes e delegados sindicas de Santiago exprimiram também total solidariedade para com as monitores de jardins infantis de São Lourenço dos Órgãos, ao mesmo tempo que repudiaram « o clima de intimidação e perseguição política aos professores» que actual perdura nos diferentes acontecimentos de ensino, provocado por pressões por parte dos dirigentes do Ministério da Educação.

O encontro de Palmarejo decidiu também reforçar a capacitação dos dirigentes sindicais, isto tendo em conta a luta com vários desafios a vencer que o SINDEP terá que travar, provavelmente com mais vigor no arranque do novo ano lectivo.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project